Várias lesmas Glaucus atlanticus estão aparecendo em praias de diversos lugares do mundo, incluindo no Brasil. Conhecida como "dragão azul", esta espécie é venenosa e incomum por toda a América do Sul e Norte, mas também foi avistada nos Estados Unidos há alguns dias.

Apesar de sua aparência peculiar e até fofa, o "dragão azul" pode causar queimaduras em humanos e deve ser evitado. A espécie se alimenta de outros animais venenosos e, por isso, concentra toxinas poderosas que podem afetar nossa pele.

No Brasil, o Dragão Azul foi avistado no sul do paísNo Brasil, o Dragão Azul foi avistado no sul do país

Depois de diversos relatos de encontros com o bichinho, a página oficial da reserva Padre Island National Seashore, nos Estados Unidos, emitiu uma nota avisando os banhistas para evitar o animal, contando que também nunca haviam recebido qualquer relato de encontro com o "dragão azul" antes. A teoria mais provável é que um grupo desses animais tenha vindo da Europa ou da África para as Américas por acidente em uma corrente marítima. "Eles se movem em grupos de 'massas de água'. Se você vê um, você vê 1 mil deles", explicou uma das representantes da reserva.

No Brasil, o animal foi avistado no litoral de Santa Catarina por meados de fevereiro, mas a maioria chegou à praia morta. "Dependendo da quantidade de vento e ondulação, eles chegam mais próximos da costa e acabam encalhando na praia", explicou o oceanógrafo Lauro Henrique Búrigo em entrevista ao G1.