A universidade israelense Technion de Haifa desenvolveu uma máscara autolimpante e reutilizável. O projeto foi conduzido pela Faculdade de Ciências e Engenharia de Materiais da Instituição e promete combater patógenos, como o novo coronavírus. Para isso, ela foi fabricada com uma camada interna de fibra de carbono e entrada para um carregador, o mesmo de dois amperes usado em celulares.

Ao ser conectada na tomada ou porta USB, ela é aquecida através de correntes elétricas, então capazes de matar microrganismos acumulados em sua superfície. O design do produto ainda traz uma válvula central de ventilação, para facilitar a respiração dos usuários — possivelmente médicos —, enquanto em sua lateral fica a entrada para o carregador.

Máscara autolimpante tem porta USB na lateral para conectar o carregador à tomada.Máscara autolimpante tem porta USB na lateral para conectar o carregador à tomada.

Segundo um porta-voz da universidade, a patente foi registrada nos Estados Unidos e medidas estão sendo tomadas para que o produto final seja oferecido comercialmente o mais breve possível. O plano é que chegue às lojas especializadas com o baixo de custo de somente US$ 1.

A máscara autolimpante tornaria a rotina de plantões médicos mais eficiente e reduziria consideravelmente os gastos com EPIs descartáveis ou higienizáveis, sobretudo neste período de pandemia.

Universidade de Israel cria máscara autolimpante que custa US$ 1 via TecMundo