A neve é uma coisa maravilhosa, não é? Tanto que faz parte de inúmeros filmes românticos feitos até hoje. Feita de gelo, até crianças brincam fazendo bolinhas com os flocos e jogando umas nas outras. Agora, imagine se a neve fosse feita de pedaços de corpos mortos e fezes? É mais ou menos isso que é a "neve marinha".

Essas partículas que os mergulhadores chamam de neve são compostas de bactérias, detritos, minerais, zooplâncton e pedaços de animais mortos. Já que elas são produzidas em diferentes profundidades, todas afundam até o fundo do mar e dão impressão de que se estivessem caindo como flocos de neve.

As partículas não são muito grandes e elas medem em torno de 5 mm. Contudo, elas podem se aglutinar e formar flocos maiores — muitos pedaços gelatinosos de águas-vivas também entram nessa conta.

Se você está se perguntando o porquê de o fundo do mar não estar cheio dessa neve, saiba que ele está. Porém, a grande maioria desses flocos é comida por outro animais ou até reciclada pelo próprio bioma.

Além disso, eles fazem uma parte importante do ciclo do carbono. Enquanto um fitoplâncton faz a fotossíntese, ele incorpora o elemento em seu pequeno corpo. Esse processo, no final das contas, torna o fundo do oceano um grande reservatório de dióxido de carbono. Essa habilidade reduz a concentração dele na atmosfera terrestre e o perigo da acidificação do mar.