Uma expedição científica ao longo do rio Mekong, que corta alguns países do sudeste asiático – Tibete, China, Mianmar, Tailândia, Laos, Camboja e Vietnã –, descobriu 139 novas espécies animais e vegetais.

Uma das mais curiosas entre elas é a Ampulex dementor, vespa que recebeu esse nome em homenagem aos dementadores, criaturas das trevas presentes nos livros da série Harry Potter, escrita pela autora britânica J. K. Rowling.

Esses monstros sugam a alma, a felicidade, a esperança e a vontade de viver das pessoas através de um “beijo” – eles não têm realmente uma boca, apenas um buraco no lugar onde ela deveria estar – e deixam apenas uma “casca vazia”.

Ampulex dementor, a vespa dementadora - Imagem: Michael Ohl/ Museum für Naturkunde

A vespa dementadora, descoberta na porção tailandesa do rio, recebeu esse nome porque faz algo semelhante com as baratas que caça para se alimentar. Ela injeta veneno em uma massa de neurônios presente no abdômen de sua presa, que faz com que essa perca o controle de seus membros.

A vítima então é arrastada pelas antenas até o ninho da vespa, onde essa a devora ainda viva. Como a barata não consegue se defender, parece que ela simplesmente não tem mais vontade de viver, assim como os beijados por um dementador. O nome foi aprovado depois de uma votação entre os cientistas envolvidos na pesquisa.

Descobertas em extinção

Os cientistas concentraram seus esforços na parte do rio conhecida como Mekong Superior, mais distante do contato humano. Entre as descobertas estão:

  • Uma rã com pequenos espinhos nas costas e que muda de cor dependendo da hora do dia (durante a noite ela possui um tom de amarelo, com as extremidades rosadas; durante o dia, ela escurece para um tom de marrom), no Vietnã;
  • Um morcego que tem as presas bem mais longas do que o normal, o que o ajuda a comer insetos que possuem a casca particularmente dura, no Laos;
  • Uma nova espécie de salamandra-crocodilo, em Mianmar;
  • Uma nova espécie de lagartixa de dedos encurvados, a espécie de réptil de número 10 mil a ser descoberta na história, no Laos;
  • Uma mariposa de um gênero completamente novo, nomeada de Sirindhornia chaipattana em homenagem à Princesa Maha Chakri Sirindhorn da Tailândia, que tem apoiado o trabalho dos pesquisadores;
  • A segunda maior espécie de bicho-pau já encontrada, no Vietnã;
  • Um novo tipo de coral macio com tentáculos emplumados, na Tailândia;
  • Duas novas variedades de orquídeas, também na Tailândia.

Apesar de essas e várias outras descobertas serem muito recentes, com menos de um ano, muitas dessas espécies já correm risco de extinção. Isso está acontecendo devido ao represamento de trechos do rio Mekong – o 13º mais longo e 10º mais volumoso do mundo – para a construção de diversos projetos hidrelétricos.

Os pesquisadores agora se perguntam quantos exemplares animais e vegetais não foram extintos antes mesmo de serem descobertos como consequência da ação humana.