Os ursos cinzentos, uma sub-espécie de urso marrom, vivem em grandes porções de territórios da América do Norte e são chamados assim por terem pelos com as pontas mais claras que a raiz, o que dá a impressão de que sua pelagem é grisalha. Esses grandes animais têm uma das menores taxas de reprodução entre os mamíferos do continente americano.

Eles só alcançam a maturidade sexual aos cinco anos de vida, a gestação leva nove meses e depois que a ninhada nasce, a mãe passa cerca de dois anos cuidando dos filhotes. Durante esse período, a fêmea não cruza novamente e depois que os jovens ursos vão embora, ela deve passar três ou mais anos sem ter uma nova prole.

Ainda assim, raras são as vezes em que a cruza de um casal de ursos cinzentos não resulta em gravidez. Isso porque o ato sexual entre eles pode durar até uma hora, tempo em que a fêmea é continuamente estimulada a ovular devido à ação de uma estrutura presente no macho chamada de báculo – osso interno do pênis, comum em várias espécies de mamíferos. O báculo de um urso cinzento tem em média 16,5 cm de comprimento, sem contar os tecidos moles que o envolvem.

Báculo de um urso cinzento

Mas nesse processo todo de procriação dos ursos cinzentos, o que há de mais interessante sem dúvida são as etapas da gravidez. Apesar de haver um intervalo de nove meses entre o período de acasalamento e o nascimento, os filhotes só se desenvolvem de fato no útero da mãe por um curto período, que varia de seis a oito semanas.

O cruzamento acontece normalmente na primavera do hemisfério norte, entre março e maio. No entanto, uma vez que um óvulo é fecundado, a ursa consegue suspender completamente o desenvolvimento dele no interior de seu útero, processo chamado de implantação tardia. Ela então vai passar as duas próximas estações ganhando bastante peso para enfrentar o inverno em estado de hibernação.

Uma vez que já tiver preparado a sua toca para a estação mais fria do ano – geralmente cavando sob uma raiz de árvore ou localizando uma caverna – e tiver ganhado peso suficiente, em meados de novembro a fêmea “reativa” a gravidez enquanto passa os próximos três meses em letargia. Sua temperatura cai levemente, seu ritmo cardiorrespiratório diminui e seu organismo e o dos fetos vão se manter ativos consumindo apenas as reservas de energia contidas na gordura extra acumulada nos últimos seis meses. Curiosamente, o animal não defeca nem urina nesse período.

Um exemplar de urso cinzento durante seu período de hibernação, que se estende de novembro a janeiro, em média

O nascimento dos filhotes finalmente acontece no fim de janeiro ou início de fevereiro, quando o pior do inverno já passou e a primavera se aproxima novamente. Os ursinhos vêm ao mundo quase sem pelos, pesando menos de meio quilo, não conseguem abrir os olhos e mal são capazes de se arrastar para perto do calor da mãe.

Eles se alimentarão unicamente do leite da mãe até o verão chegar, quando vão complementar a amamentação com alimentos sólidos. O provável motivo da interrupção da gestação dos ursos é fazer com que as suas crias nasçam no início da primavera, o que garante três estações para que elas ganhem peso e desenvolvam suas habilidades de caça antes do próximo inverno.

Isso aumenta bastante as chances de sobrevivência da espécie, uma vez que, mesmo que os filhotes morram – por conta do clima ou por serem alvos de predadores –, a fêmea não vai ter outra ninhada por pelo menos três anos. Depois de dois anos ao lado da mãe, é hora dos (agora não tão pequenos) ursinhos tomarem o seu próprio rumo. Nesse meio tempo entre o nascimento e a partida, eles terão passado de 450 gramas para cerca de 45 quilos.

Uma fêmea de urso cinzento acompanhada de seu filhote durante a primavera

Cada ninhada pode ter entre um e quatro filhotes, mas na maior parte das vezes nascem apenas dois. Caso mãe e filho se reencontrem em uma temporada de acasalamento anos depois, eles se evitarão completamente.

Para quem estiver curioso sobre o papai urso nessa história toda, ele não participa do processo de criação dos pequenos. E se durante a temporada de acasalamento um macho encontrar com uma fêmea acompanhada de filhotes, pode tentar matá-los para fazer com que ela cruze novamente. Ela vai defender os filhos com todas as forças, e há casos de ursas afugentando machos muito maiores do que elas próprias quando sentiram que suas crias estavam ameaçadas.