Quem não gosta de um pouco de pimenta? Essas plantinhas picantes possuem propriedades capazes de descongestionar as vias áreas, dão muita energia na hora de tocar músicas clássicas e até apresentam relação com o nível de testosterona nos homens.

Entretanto, se você acha que a culinária baiana é forte, então é porque ainda não conheceu a Carolina Reaper (Ceifadora da Carolina). No dia 7 de agosto de 2013, o Guiness World Records declarou que essa simpática pimentinha é a mais quente do mundo. Na época, o prêmio foi entregue para a PuckerButt Pepper – empresa de Ed Currie, o responsável pela criação dessa iguaria que combina as espécies Habanero e Naga Bhut Jolokia.

De acordo com o Guiness, os testes para comprovar a picância da Carolina Reaper foram feitos pela Universidade Winthrop na Carolina do Norte, EUA. No total, ela atingiu 1.569.300 pontos na escala Scoville – medida utilizada para determinar o quão ardida é determinada pimenta.

Chamas picantes

Ed Currie, o criador da ceifadora, é um aficionado por pimentas desde pequeno. Algumas pessoas dizem que sua paixão pelo calor – e o sofrimento – fez com que ele criasse a planta mais caliente do mundo, mas não é só isso. Na verdade, a família do rapaz tem um histórico complicado de câncer e doenças cardíacas, o que fez com que ele se aproximasse do ramo das chillies.

Logo no início de sua carreira, Currie passou a estudar a relação entre as doenças e o estilo de vida dos indivíduos. Durante uma de suas pesquisas, ele descobriu que aqueles que se alimentavam de comidas apimentadas tinham menos chances de sofrerem de doenças cardíacas e cânceres. Portanto, ele resolveu investir ainda mais no cultivo dessas plantas e na fabricação de produtos derivados.

É como morder uma fatia do inferno!

Quem teve a coragem de experimentar a maléfica Ceifadora da Carolina diz que ela queima muito no início, e que a sensação piora ainda mais com o tempo. Segundo Ed, as pessoas que não estão acostumadas a comerem pimenta a rejeitam imediatamente. Entretanto, os apreciadores costumam gostar do sabor, mas se arrependem amargamente depois de alguns minutos.

“Inicialmente, a Carolina é muito gostosa e saborosa. Depois, o calor bate e nos próximos 20 minutos é um passeio ladeira acima em uma montanha fervente”, explica o especialista. O primeiro gosto que você sente é bem doce e cítrico, em seguida surgem alguns toques florais antes de começar a quentura. Como você pode ver no vídeo acima, não é muito fácil resistir à força da ceifeira.

Ed conta que, mesmo que esteja acostumado com o poder sua criação, ele não consegue impedir que seus olhos transbordem de lágrimas, as narinas comecem a escorrer e a boca salive imensamente.

“Minha garganta fecha, literalmente – mas a sensação é ótima! É incrível, e você sempre quer dar mais uma mordidinha”, brinca. No vídeo abaixo, você confere a reação da youtuber Annchirisu ao experimentar uma pequena Carolina Reaper.