Ao norte de São Francisco, no condado de Sonoma na Califórnia (Estados Unidos), Steve Sansweet mantém o maior museu de peças produzidas de Star Wars. O colecionador, um fã de ficção científica desde criança, sempre foi um apaixonado por itens e figuras dos seus filmes favoritos. Antes de começar sua coleção de Guerra nas Estrelas, Sansweet já comprava robôs e naves espaciais de obras japonesas.

Steve lembra que, quando o primeiro Star Wars chegou aos cinemas, em 1977, ainda não havia produtos licenciados da saga. O que levou à produção dos itens de colecionador foi a demanda do público. De acordo com o curador, o filme mexeu com toda uma geração de espectadores, que começou a montar suas próprias réplicas de naves, personagens e vestimentas.

Itens que não acabam mais

Nos mais de 35 anos colecionando itens e materiais relacionados aos filmes de George Lucas, Sansweet já somou cerca de 300 mil peças, das quais 95 mil são catalogadas atualmente em seu banco de dados.

Fonte da imagem: Reprodução/CNETO museu conta com alguns itens raros, entre peças produzidas por fãs e produtos originais usados nos filmes. Entre os favoritos da coleção, o dono aponta um banner da primeira logo de Star Wars pintado à mão pelo designer Ralph McQuarrie, que visitou o museu anos atrás e reconheceu o seu desenho.

No Rancho Obi-Wan, há ainda uma enorme biblioteca com livros de 39 países e em 34 línguas diferentes, um diorama completo de um Millennium Falcon, além de réplicas de personagens feitas a partir do molde original das obras cinematográficas.

As visitas ao museu são guiadas pelo próprio dono e podem ser agendadas através do site do Rancho Obi-Wan. O tour pode levar de uma até três horas, de acordo com a vontade do visitante em escutar as histórias por trás de cada peça da coleção. Pela filosofia de Sansweet, o que importa não é quantidade de itens colecionados, mas a paixão que se tem pela saga e sua história.