Aprender um novo idioma é, sem dúvida, um desafio e tanto. Agora, quando essa língua é representada por ideogramas, o negócio complica. Quando pensamos nos caracteres chineses, percebemos que são formados por traços que fazem sentido quando posicionados no lugar certo. O ideograma mais simples de todos é yi. Por outro lado, o ideograma biáng é o mais complexo da atualidade, com 57 tracinhos.

Isso tudo para dizer o nome de um prato popular feito com macarrão instantâneo na província de Shaanxi. O ideograma não é encontrado em dicionários, até mesmo porque é uma espécie de onomatopeia, que representa o som do macarrão sendo feito. Há quem diga que, na verdade, a onomatopeia representa o som das bocas saboreando o prato. Uma das teorias mais aceitas a respeito do surgimento do ideograma é a de que ele teria sido inventado por um proprietário de uma loja de macarrão.

o biáng

o zhé

o nang

Outro ideograma chinês gigantesco é maior do que o biáng, ainda que não seja considerado o maior existente no mandarim. Isso acontece porque é um ideograma obsoleto, o zhé, formado por 64 ramos. O significado disso tudo? Simples: prolixo. O curioso do zhé é o fato de que ele é formado pela união do mesmo caractere escrito quatro vezes.

Por outro lado, o biáng é a união de diversos ideogramas: cavalo, crescer, lua, coração, faca, oito, telhado e andar. Entendeu a complexidade da coisa? Atualmente o maior ideograma presente em dicionário é o nang, que usa 36 ramos para definir o som da voz de uma pessoa quando seu nariz está entupido. E aí, você tinha noção da complexidade dos caracteres chineses? Será que conseguiria fazer os mesmos símbolos acima à mão?