Você provavelmente já deve ter ouvido falar do costume japonês de tirar os sapatos antes de entrar em casa e em outros locais, principalmente para não estragar o piso dos lugares, o tatami. Acontece que isso também acontece em escolas públicas, onde o chão não é feito de bambu – professores, alunos, visitantes e demais funcionários também tiram seus calçados e vestem outros que são apropriados. O motivo é simples: a prática ajuda a manter o local limpo.

A limpeza é feita, inclusive, pelos próprios alunos, como uma forma de enfatizar a igualdade existente e ensinando aos jovens o conceito de respeito e responsabilidade – além de mostrar que não há motivos para se achar melhor do que alguém que faz esse tipo de trabalho. O próprio ato de fazer todas as pessoas presentes no local tirarem seus sapatos – o que, vale notar, não é algo obrigatório e sim um costume – também serve para reforçar a cultura igualitária.

Outras práticas também foram pensadas para sustentar o pensamento, como a adoção de uniformes padronizados em todas as escolas. Sendo assim, não existe espaço para exibicionismo e demonstrações de status consideradas desnecessárias, limitando as distrações e limitando o foco na educação.