Você já parou para pensar em como seria se o Papai Noel realmente tivesse que entregar todos os presentes — a todas as criancinhas do mundo inteiro! — na véspera de Natal montadinho em seu trenó equipado com renas voadoras? Pois já postamos uma matéria sobre essa questão aqui no Mega Curioso, e você pode acessá-la através deste link.

Parece que a discussão sobre as capacidades do Bom Velhinho costuma entrar em pauta em todos os Natais, pois, de acordo com Jesus Diaz do site Gizmodo, essa questão gerou um interessante e divertido debate, resultando nos pareceres de uma astrofísica, de um programador e de uma pessoa que adora o Natal. Confira as interessantes teorias apresentadas pelo trio a seguir:

1 – O parecer da astrofísica

Segundo Linda Harden — a astrofísica —, primeiro devemos lidar com a questão das renas voadoras e da real quantidade de crianças que o Papai Noel precisa visitar. Assim, embora não exista nenhuma espécie conhecida de rena no planeta capaz de voar, como ainda existem 300 mil espécies de organismos que ainda não foram classificados, então não podemos descartar completamente a possibilidade de que elas existam. Agora, vamos ao cálculo das visitas.

Apesar de existirem cerca de 2 bilhões de crianças no mundo, o Papai Noel não costuma visitar as muçulmanas, hindus, judias e budistas, o que significa que o trabalho do Bom Velhinho cai consideravelmente, e ele só precisa presentear cerca de 378 milhões de pimpolhos. Além disso, com base nos censos, considerando que existem 3,5 crianças por residência — onde ao menos uma se comportou direitinho —, isso resulta em 91,8 milhões de casas a serem atendidas.

Lembrando que Noel tem 31 horas para concluir as entregas — graças aos diferentes fusos, à rotação da Terra e considerando que ele se desloca na direção Leste-Oeste —, então ele precisa fazer 822,6 visitas por segundo, que envolvem estacionar o trenó, descer pela chaminé, distribuir os presentes etc. Para facilitar o cálculo, Linda considerou que as 91,8 milhões de casas estão distribuídas de maneira uniforme pelo planeta.

Isso significa que o Papai Noel tem que fazer uma parada a cada 1,3 quilômetros, aproximadamente, e como tem que visitar 91,8 milhões de casas em 31 horas, ele precisa viajar a uma velocidade de mais de mil quilômetros por segundo. E ainda tem a carga do trenó! Levando em conta que cada criança ganhe um kit da LEGO de aproximadamente 1 quilo, vá imaginando o peso! E isso que Linda nem contou com o peso do velhinho gorducho.

Para puxar tudo isso, seriam necessárias milhares de renas, o que contribuiria para aumentar ainda mais o peso da estrutura que, viajando a mais de mil quilômetros por segundo, criaria uma absurda resistência com o ar. As renas na dianteira do trenó entrariam em combustão e o time inteiro seria vaporizado, enquanto o Papai Noel permaneceria colado no fundo do veículo devido à força centrífuga que, segundo Linda, seria dezenas de milhares de vezes superiores à força da gravidade.

2 – O parecer do programador

Jim Mantle, o programador, pede que não sejamos tão descrentes e critica diversas considerações do parecer de Linda, como a distribuição uniforme de residências e o número de crianças por casa. Segundo Jim, não podemos deixar de lado o fato de que muitos casais não têm filhos, e que existem muitas famílias pobres no mundo, aspectos que reduzem ainda mais o trabalho do Papai Noel — fazendo o número de visitas cair significativamente.

Jim também discorda da ideia de que cada residência conta com ao menos uma criança comportada. Afinal, e se cada casa tiver mais de uma criança boazinha? E o que dizer das que só têm diabinhos? Assim o número de visitas seria ainda menor. Além disso, o Papai Noel não pode voar sobre vários locais — como bases aéreas, países em guerra e áreas controladas —, então teria que usar um serviço de encomendas para despachar parte dos presentes.

O programador também aponta que, de acordo com a Teoria da Relatividade, quando um objeto alcança a velocidade da luz, algo mágico acontece com o tempo, que passa a se comportar de maneira diferente e desacelera. Assim, considerando que o Papai Noel viaja mais rápido do que a velocidade da luz, então ele teria tempo suficiente para visitar todas as crianças — que não estão distribuídas uniformemente pelo mundo.

Para fazer isso — sem ter que usar uma nave capaz de alcançar a velocidade de dobra espacial —, Jim se apoiou no cenário proposto pela astrofísica de que as renas seriam vaporizadas. Segundo ele, em vez disso, os animais absorveriam toda essa energia produzida e a usariam para acelerar. E mais: de acordo com Jim as galhadas funcionariam como painéis solares ultrapoderosos projetados para energizar as renas. Uma completa viagem nerd!

3 – O parecer do fã do Natal

Para finalizar a discussão, o fã do Natal — cujo nome ou formação não foram divulgados, mas vamos chamá-lo de Natalino — detona com os dois pareceres anteriores. Para começar, Natalino aponta que o excelente documentário “Santa Claus is Coming to Town” (veja a capa acima) revela que as renas são capazes de voar graças ao consumo de bolotas mágicas, e esse fato é confirmado claramente no filme “Rudolph, a Rena do Nariz Vermelho”.  

Com respeito à briga sobre o número de visitas, Natalino explica que tanto Linda como Jim ignoraram a questão envolvendo a separação da Igreja em Romana e Ortodoxa. Isso ocorreu antes de o calendário juliano ser substituído pelo gregoriano, e como os ortodoxos ainda baseiam suas celebrações litúrgicas no antigo calendário, seu Natal é comemorado dias depois da data tradicional. Sendo assim, o Papai Noel tem duas datas para entregar os presentes.

Para Natalino, há várias falhas nas colocações sobre o número de crianças por casa e sobre quantas receberiam presentes por bom comportamento. Isso porque, segundo explicou, não foi levado em conta que, dependendo da religião — como a católica, por exemplo —, é provável que as famílias tenham um maior número de filhos do que os considerados, sem falar que os filhos únicos costumam ser mais mimados e, consequentemente, mais levados.

Por último, sobre a entrega dos presentes, Natalino argumenta que Papai e Mamãe Noel estão juntos há um bocado de tempo — uns 100 anos pelo menos. E nenhum casal vivendo em um local onde o Sol não aparece durante seis meses do ano não ficaria muito tempo sem ter filhos, não é mesmo? Sendo assim, devem existir ao menos cinco gerações da família Noel — com muitos filhos, netos, bisnetos... — que, juntas, compõem uma população inteira de ajudantes.

***

E você, caro leitor, o que achou dos pareceres acima? Qual deles foi o seu favorito? Você tem alguma teoria maluca a respeito da existência do Papai Noel e sobre como ele faria para visitar as criancinhas do planeta? Entre no clima de Natal e solte a imaginação nos comentários abaixo!

*Publicado em 24/12/2016