Vinte de janeiro de 1996: relatos dão conta de que um objeto não identificado caiu em Varginha, município de Minas Gerais, e duas criaturas extraterrestres teriam sido capturadas, ainda com vida, por militares. Dezenas de pessoas afirmam que foram testemunhas do ocorrido, incluindo oficiais do exército que presenciaram a suposta autópsia, ocorrida em um hospital da cidade. Mesmo assim, o governo nega qualquer questão sobre o assunto.

Completando 20 anos nesta semana, um dos casos de ufologia mais conhecidos e estudados no mundo aconteceu em uma pequena cidade industrial, no Brasil. Pesquisadores continuam a apontar evidências que mostrariam que o governo e os militares brasileiros escondem a verdade por trás do ocorrido. Acompanhe os dois lados da história. 

A queda do óvni

Um documentário sobre o “ET de Varginha” foi produzido por uma equipe do canal de televisão Discovery Channel. Nele, há relatos de que, na noite de 19 de janeiro de 1996, um satélite espião americano detectou um objeto não identificado entrando na atmosfera da Terra. O sistema de defesa teria alertado o governo brasileiro de que o óvni estaria se dirigindo para Varginha, Minhas Gerais. Imediatamente, as autoridades militares na base Três Corações teriam entrado em alerta total, se dirigindo para a cidade.

Naquela madrugada, alguns moradores relatam que acordaram assustados com o barulho de animais correndo e, ao irem à janela, avistaram um objeto voador sobrevoando a região, em formato de charuto e que parecia estar em chamas.

Na manhã do dia 20, o corpo de bombeiros recebeu uma ligação anônima de alguém que dizia ter visto uma criatura estranha na cidade. Ao chegarem ao local, apenas cinco minutos após a ligação, os bombeiros se surpreenderam ao encontrarem o exército. Onze pessoas afirmam terem visto o momento em que os oficias capturaram a criatura em meio a uma mata.

Naquela tarde, as irmãs Katia, Liliane e Valquíria voltavam do trabalho e resolveram pegar um atalho para chegar em casa mais rápido. Ao passarem por um terreno baldio, elas teriam avistado uma estranha criatura que parecia estar sofrendo muito. Segundo as irmãs, o ser era marrom e sua pele aparentava ser mole; seus olhos eram grandes e vermelhos e seus ombros tinham veias saltadas. Logo o relato das jovens estaria conhecido em toda a cidade.

As irmãs Katia, Liliane e Valquíria no local onde viram o suposto ET

Para aumentar ainda mais o temor da população, um policial militar que estaria envolvido no ocorrido, Marco Eli Chereze, morreu e sua família foi aconselhada a enterrar o corpo imediatamente, sem a realização de um velório. Os exames feitos no oficial mostraram que Marco tinha 8% de substâncias tóxicas desconhecidas em seu organismo. Segundo a entrevista feita no documentário com Marta, a irmã do oficial, a família entrou com um processo contra os militares e pediu a exumação do corpo do jovem. Ela acredita que o oficial tenha morrido depois de tocar no extraterrestre durante a captura.

Morte do oficial Marco Eli Chereze levantou suspeitas

Outra situação curiosa foi a morte de cinco animais no zoológico da região. Segundo Leila Cabral, bióloga e diretora do local, todos eram saudáveis e morreram de um dia para o outro, sem explicação alguma.

O que os militares dizem sobre o caso?

Desde que o assunto se tornou público, pesquisadores de óvnis, equipes de TV e até membros da imprensa internacional foram até a cidade para cobrir o que se tornou um dos mais surpreendentes casos de contato imediato de que o mundo já havia ouvido falar.

Durante uma visita à corporação, a equipe do Discovery Channel conseguiu uma entrevista exclusiva com um militar, que comentou a versão oficial para o caso. Segundo a declaração, no dia 20 de janeiro, estava chovendo muito forte na cidade de Varginha e os oficiais levaram os caminhões da corporação para uma revisão, por isso a grande movimentação de carros oficiais na cidade. No hospital, um casal de anões aguardava o momento de um parto, o que coincidiria com a história da ESA (Escola de Sargentos das Armas) ter pego a criatura, colocado no caminhão e levado para o Hospital de Varginha. O que as pessoas acreditaram ser dois extraterrestres eram apenas o casal de anões no local.

Versão oficial descarta a captura de extraterrestres

Além disso, por causa do temporal, o que as três irmãs afirmaram ter visto não passava de um outro anão, que possui problemas mentais e estava sujo e machucado no terreno baldio. Segundo o oficial, “se nós olharmos para este senhor, ele realmente tem uma aparência que nos causa até um certo constrangimento e uma aflição, pois ele tem alguma deformidade física e a pele escura."  

Você pode assistir ao depoimento aqui: 

Um tempo depois, foi descoberta a verdadeira identidade do senhor citado na declaração: trata-se de Luiz Antônio de Paula, de 34 anos. Segundo Vitório Pacaccini, um dos principais investigadores do caso, comparar Luiz ao que as três irmãs viram é uma ofensa à inteligência.

“Ele tem alguma deficiência mental, mas não está deformado. Ele sabe como comer tudo sozinho, dormir em sua cama [nunca dorme na rua], tomar banho, usar o banheiro, pedir – através de gestos – uma série de coisas e tem senso de humor”, relata Vitório.

Além disso, de acordo com ele, por ser um homem conhecido na cidade, as três irmãs sabiam de sua existência e não poderiam confundir o rapaz com uma criatura de outro planeta.

Imagem feita de acordo com o depoimento das irmãs e registro de Luiz Antônio de Paula

No Inquérito Policial Militar, na página nº 334, há o seguinte registro:

“Segundo o depoimento constante à Fl Nr 219, do Sr Comandante do 24º Batalhão de Polícia Militar, sediado naquela Cidade, a chuva intensa e o vento forte ocasionaram vários atendimentos dos bombeiros naquela região, não tendo sido registrada nenhuma solicitação de apreensão de animal ou criatura estranha naquele dia. O depoente mostrou a este encarregado as fotografias juntadas aos presentes autos à Fl Nr 261, de um cidadão conhecido como “Mudinho”, que provavelmente apresenta algum desvio mental e cujas características físicas puderam ser posteriormente evidenciadas no estudo fotográfico de simulação levado a efeito na Seção de Informática da EsSA, conforme se observa na sequência constante nestes autos às Fl Nr 322 a 327. Tais evidências tornam, portanto, mais provável a hipótese de que este cidadão, estando provavelmente sujo, em decorrência das fortes chuvas, visto agachado junto a um muro, tenha sido confundido, por três meninas aterrorizadas, como uma ‘criatura do espaço’”.

Já sobre a morte do oficial Marco Eli Cherese, o comandante do 24º Batalhão da Polícia Militar de Varginha Maurício Antônio Santos afirma que o militar tinha um cisto debaixo da axila esquerda e, após o procedimento cirúrgico para retirá-lo, faleceu devido a uma infecção hospitalar.

Curiosidades

  • O ufólogo e escritor Marco Antônio Petit, que também é coeditor da revista UFO, lançou, no ano passado, o livro “Varginha – Toda a verdade revelada”. Segundo ele, a obra relata detalhes ainda desconhecidos da população em geral e faz uma denúncia sobre o inquérito policial militar, que teria acobertado fatos importantes sobre o caso.

  • O pesquisador Vitório Pacaccini afirmou ter posse de uma entrevista com um militar que alegou estar envolvido na captura do extraterrestre. Segundo o relato, no dia 22 de janeiro, três caminhões saíram da ESA e partiram em direção à Varginha. Eles teriam se deparado com uma estranha criatura em uma calçada, a capturaram e a colocaram no caminhão. O organismo já teria chegado sem vida ao hospital. Depois de horas de exames, a criatura teria sido levada com segurança máxima até a base da ESA, onde, no dia seguinte, foi encaminhada até a Escola de Cadetes, em Campinas e, posteriormente, para a Unicamp, onde existem dois laboratórios de acesso restrito.

  • Vinte anos depois do ocorrido, as três irmãs relataram que foram persuadidas a mudar o depoimento. “Vieram quatro homens em casa oferecendo dinheiro para a gente desmentir a história. Não sei quem eles eram, mas ficamos com medo durante muito tempo. Mesmo assim não desmentimos”, conta Valquíria.

  • Por vezes, o incidente de Varginha é chamado de "Roswell brasileiro", pela semelhança com o caso norte-americano, que envolveu um óvni acidentando, extraterrestres e segredos ocultados pelo governo.

  • Se você for à cidade, poderá tirar fotos com algumas referências ao caso histórico, como as estátuas de extraterrestres e as naves espaciais.

Você acredita no ET de Varginha? Comente no Fórum do Mega Curioso