A Justiça deveria ser igual para todos, certo? Afinal, é por isso que dizem que ela é “cega” — para garantir que ela seja imparcial e não faça distinções entre influentes, famosos, ricos e pobres. No entanto, na prática, conforme apontou Hayley Virgil, do portal All That Is Interesting, existem alguns exemplos de celebridades que provavelmente conseguiram se livrar de acusações bem sérias por serem poderosas e cheias de dinheiro. Confira:

1 – Robert Blake

No início dos anos 2000, o ator Robert Blake se livrou por pouco de ser condenado à prisão pelo assassinato de sua esposa, Bonnie Bakley — que já havia sido casada outras 10 vezes e tinha fama de usar seus maridos para conseguir dinheiro. O relacionamento dos dois não era nada feliz, já que Robert só se casou com Bonnie depois que um exame de DNA revelou que ele era o pai do filho recém-nascido dela.

O fato é que, um dia, Bonnie estava aguardando por Robert no carro do casal diante de um restaurante na Califórnia quando foi morta a tiros por um assaltante. Curiosamente, o ator deixou a esposa no veículo para pegar uma arma — que ele teria esquecido no estabelecimento— no momento do incidente. Suspeito, não?

Entretanto, exames de balística provaram que não havia resíduos de pólvora nas mãos de Robert, e que sua arma não era a mesma usada no crime. E mesmo depois de dois homens admitirem que o ator os havia contratado para matar Bonnie, os advogados da defesa conseguiram abalar a credibilidade do testemunho, e Robert foi absolvido das acusações.

2 – Kobe Bryant

Kobe Bryant é um dos nomes mais famosos da NBA, e há alguns anos ele enfrentou acusações pra lá de sérias. Tudo aconteceu em 2003, enquanto o jogador se encontrava hospedado em um hotel no Colorado — e uma funcionária do local o acusou de estuprá-la. A jovem tinha 19 anos na época e contou com detalhes o que aconteceu.

Para tornar a situação ainda mais desconfortável para a estrela de basquete, exames de DNA comprovaram que manchas de sangue encontradas na camisa de Bryant pertenciam à moça, e alguns hematomas no rosto dela pareciam reforçar a acusação.

Bryant negou tudo, obviamente, mas, depois, voltou atrás e admitiu que os dois tiveram um encontro sexual — mas garantiu que a coisa não havia sido forçada. No fim, o jogador gastou vários milhões de dólares com advogados para limpar a sua barra com a Justiça — e provavelmente outros tantos em um acordo com a vítima fora dos tribunais.

3 – Snoop Dogg

Se você viu a foto de Snoop Dogg e logo imaginou que ele provavelmente enfrentou problemas com a lei por conta de algum crime relacionado com porte de drogas, saiba que, na verdade, ele foi acusado de algo bem pior. No início dos anos 90, o rapper teria ajudado um de seus guarda-costas, um homem chamado McKinley Lee, a cometer um homicídio.

A confusão parece ter sido motivada por uma briga de gangues na qual Snoop Dogg e a vítima, Philip Woldemariam, se encontravam em lados opostos da contenda, e Lee teria sido o autor dos disparos que acabaram com a vida do rapaz. Mas as circunstâncias do ocorrido não foram muito bem explicadas.

Snoop Dogg alegou que Woldemariam o teria perseguido com uma arma, forçando Lee a agir em legítima defesa. No entanto, a vítima contava com ferimentos de bala nas costas, o que sugere que ela estava tentando fugir na hora do crime. O problema é que os policiais encarregados do caso perderam evidências vitais durante as investigações, e o rapper se livrou da cadeia — e só teve que fazer um acordo com a família de Woldemariam.

4 – Michael Jackson

Todo mundo sabe que o finado Rei do Pop enfrentou diversas acusações de abuso sexual de menores ao longo de sua carreira, sendo que a primeira delas surgiu no início dos anos 90. Na época, Michael Jackson se livrou de ter de encarar o tribunal graças a um acordo de US$ 23 milhões que ele fez fora das cortes. No entanto, 10 anos depois, quando novas acusações vieram à tona, o artista não teve a mesma sorte e foi levado a julgamento.

Na segunda ocasião, os problemas de Michael Jackson começaram depois que uma equipe britânica que estava produzindo um documentário sobre o artista capturou imagens dele de mãos dadas com um menino — e combinando com o garoto de eles dormirem juntos no mesmo quarto.

Assim que o programa foi televisionado, Jackson foi acusado de ter drogado e abusado do menino e, para piorar a situação do artista, os investigadores encontraram uma grande quantidade de material pornográfico na residência do Rei Pop, incluindo alguns livros com fotos de meninos nus.

Mas, quando parecia que Jackson não conseguiria se livrar da prisão, a defesa apresentou provas de que o menino e sua família já haviam tentado extorquir dinheiro de outras celebridades. Além disso, as testemunhas da acusação começaram a se contradizer na corte, e vários declarantes de peso da defesa — incluindo um menino que muita gente pensava ter sido abusado pelo artista no passado — acabaram ajudando a virar o jogo a favor do Rei do Pop.

Por fim, anos depois da morte de Michael Jackson, dois envolvidos nas acusações vieram a público e contaram que haviam sido molestados pelo artista diversas vezes. Além disso, algumas fontes revelaram que o Rei do Pop chegou a desembolsar cerca de US$ 200 milhões para “comprar” o silêncio das famílias de uns 20 meninos que teriam sido abusados por ele.

*Publicado em 12/02/2016