A notícia de que Eike Batista, um dos maiores empresários do Brasil, perdeu muito dinheiro em suas empresas está correndo o mundo inteiro há algum tempo e, se você não sabe ainda o que está acontecendo, pode conferir o um breve resumo da história de Eike clicando aqui.

A novidade agora é que o The Wall Street Journal garante que Eike está à beira da falência. De acordo com a matéria, as negociações entre a OGX, empresa do grupo de Eike, e seus credores terminaram sem acordos nem acertos, já que o grupo petrolífero não tem como arcar com suas dívidas nem como manter seu funcionamento das empresas em dia.

Ao que tudo indica, a OGX vai passar por recuperação judicial já nos próximos dias – a medida é tomada depois que todas as outras tentativas de negociação falharam. Em declaração publicada no portal G1, é possível perceber que o jornal norte-americano analisa o momento de forma irônica: “Uma quebra seria a maior da história da América Latina e um marco infame na ascensão e queda do ex-piloto de lanchas de corrida”.

Datas e vencimentos

Fonte da imagem: Reprodução/Gironatela

O prazo que a OGX tem para quitar suas dívidas e não dar calote termina esta semana. No começo de outubro, a companhia já não conseguiu arcar com uma quantia de US$ 45 milhões de uma de suas parcelas. A dívida no mercado internacional com os credores e investidores, somente em bônus, já chega a US$ 3,6 bilhões.

Greg Lesko, que trabalha em uma seguradora da companhia de Eike, em declaração publicada na Info, disse que "não há nada que Eike possa fazer para transformar sua companhia naquela que ele queria. O óleo simplesmente não está lá".

Mesmo com a corda no pescoço, a OGX informou, há pouco, que "continua avaliando alternativas para a reestruturação de seu endividamento". O problema é que só hoje a companhia já teve uma queda de 17% na Bolsa de Valores do Estado de São Paulo (Bovespa).

Decadência

Fonte da imagem: Reprodução/Bahiaeconômica

Como você já sabe, o que está levando Eike à ruína é o fato de que ele investiu muito – e conseguiu importantes investidores para apoiá-lo – em regiões que não tinham todo o petróleo que ele acreditava que encontraria. A fonte secou, literalmente, e agora o empresário não tem como cumprir com suas obrigações financeiras. Uma das saídas da OGX é vender seu patrimônio, o que já é considerado.

A empresa asiática Petronas está em processo de avaliação de compra de um bloco de petróleo avaliado em US$ 850 milhões, quantidade que já ajudaria nas contas da companhia de Eike.

O empresário, que tinha uma fortuna de US$ 30 bilhões há um ano, hoje tem “apenas” US$ 900 milhões.