A educação, hoje em dia, está cada vez mais em maus lençóis: depois de a Turquia revogar o ensino do evolucionismo nas escolas, chegou a vez de a Austrália se envolver em uma polêmica parecida. Tudo porque o primeiro-ministro do país fez uma declaração que deu a entender que as leis de lá são superiores às leis da matemática.

A história começou quando a Austrália propôs uma lei que obrigaria serviços de redes sociais a divulgarem dados de usuários identificados com suspeitas de envolvimento em atos ilícitos, como terrorismo e pedofilia. Isso tem gerado críticas de diversos grupos, que alegam que tal proposta só seria possível se a criptografia da rede fosse enfraquecida a tal ponto que qualquer um pudesse bisbilhotar a vida alheia.

Segundo críticos, proposta de lei de Turnbull vai, na verdade, fortalecer os criminosos

A repórter Asha McLean, da ZDNet, entrevistou o primeiro-ministro Malcolm Turnbull e o questionou a respeito dessas leis da matemática, ou seja, sobre os problemas relacionados aos códigos de computação que poderiam impedir que a proposta de lei entrasse em vigor. E a resposta do cara foi: “As leis da Austrália prevalecem na Austrália. Posso te garantir isso. As leis da matemática são muito louváveis, mas a única lei que se aplica na Austrália é a lei da Austrália”.

Obviamente, isso caiu como uma luva para os internautas do país, que passaram a zoar de Turnbull. O mais ferrenho defensor da privacidade digital da Austrália, o político Scott Ludlum, até poderia intervir no assunto, mas, recentemente, ele renunciou ao Senado do país, abrindo portas para que a lei seja aprovada sem nenhuma barreira.