Hoje não tem guerra, mas sim motim! Quem acompanha a coluna Drops Históricos já percebeu que a gente costuma trazer vários acontecimentos centrados na Europa e na Ásia e mostrar desdobramentos dos principais conflitos bélicos que marcaram os últimos séculos nesses dois continentes.

Hoje, no entanto, reunimos um pouco sobre meios de comunicação aqui no Brasil, o papel deles em um importante fato histórico na Inglaterra na década de 1990 e a criação da principal instituição de ensino superior nos Estados Unidos.

No entanto, para não ficar tudo muito na paz, também tem um pouquinho sobre uma das principais revoltas feministas já presenciadas em solo nacional: o Motim da Mulheres, que começou no Rio Grande do Norte e se espalhou por todo o país em 1875. E é com ele que a gente abre a coluna desta semana!

4 de setembro

1875: Motim das Mulheres

Nem só de queima de sutiãs se faz o movimento feminista, e nem toda revolta provocada por mulheres se apresenta como feminista. A prova disso é a guerra que ficou conhecida no Brasil como Motim das Mulheres e começou em 4 de setembro de 1875 em Mossoró, no Rio Grande do Norte.

O fato é tão importante que, todos os anos, grupos de teatro revivem e reencenam o motim em alguns teatros e ruas do Nordeste brasileiro.

Joaquina de Souza, Maria Filgueira e Anna Rodrigues Braga lideraram um grupo de 300 mulheres que simplesmente não aguentavam mais enviar seus homens para as guerras. Elas então empunharam pedras e pedaços de pau e rumaram para o centro da cidade, invadiram delegacias e repartições públicas e exigiram que seus maridos parassem de ser alistados no Exército e na Marinha.

5 de setembro

1494: Ratificação do Tratado de Tordesilhas por Portugal

Era o fim do século XV, e o Novo Mundo descoberto por Cristóvão Colombo precisava ser explorado e colonizado. Assim pensavam os portugueses e espanhóis.

Para definir quem iria dominar quem, os dois países enviaram representantes ao povoado de Tordesilhas, onde foi firmado um tratado que definia o meridiano a 370 léguas a oeste da ilha de Santo Antão, no arquipélago de Cabo Verde, como a demarcação entre as terras cabíveis a cada nação.

O Tratado de Tordesilhas foi assinado em 7 de junho, ratificado pela Coroa de Castela, atual Espanha, em 2 de julho e por Portugal em 5 de setembro.

6 de setembro

1997: Princesa Diana e seu funeral

Uma das mortes mais polêmicas da década de 1990, a de Diana, Princesa de Gales, é até hoje considerada um verdadeiro case da Sociedade do Espetáculo. Tudo começou com o acidente que tirou a vida da princesa, causado quando o carro em que ela estava tentou despistar um paparazzo.

A batida, considerada um acidente apesar das teorias da conspiração que a cercam, ocorreu dentro do túnel da Ponte de l'Alma, em Paris, na França, quando o motorista do automóvel, Henri Paul, perdeu o controle do carro. Além do próprio condutor e de Diana, morreu o então namorado dela, Dodi Al-Fayed. O único sobrevivente foi o guarda-costas de Fayed, Trevor Rees-Jones.

Mesmo depois de sua morte, a imprensa não deixou a princesa em paz e manteve o falatório e a cobertura midiática. Seu funeral, televisionado, foi assistido por 2,5 bilhões de pessoas ao redor do mundo, e as 5 horas de filmagem disponibilizadas pela CNN estão até hoje no YouTube.

7 de setembro

1922: Primeira transmissão de rádio no Brasil

Cem anos depois da declaração da Independência do Brasil, o país recebeu também sua primeira transmissão de rádio! Ela aconteceu com discurso do então presidente Epitácio Pessoa e marcou o início de toda uma nova era de comunicação pública do país.

A fala foi feita por meio de um transmissor de 500 watts da Westinghouse instalado em um lugar pra lá de glamouroso: o alto do morro do Corcovado. Na época, o Rio de Janeiro ainda era a capital do Brasil, e a transmissão foi em comemoração ao centenário da Independência.

Em um primeiro momento, apenas a capital do Rio de Janeiro e as cidades de Niterói e Petrópolis receberam a transmissão, por meio de 80 receptores espalhados pela região.

Além do discurso do presidente, a primeira transmissão contou ainda com a apresentação da ópera "O Guarani", de Carlos Gomes.

8 de setembro

1636: Fundação da Universidade de Harvard

Primeira instituição de ensino superior dos Estados Unidos, Harvard foi fundada na cidade de Cambridge, no estado de Massachusetts, com o mesmo propósito das principais instituições de ensino superior brasileiras: criar uma oportunidade de estudo para os filhos da alta sociedade, de forma que não precisassem rumar à Europa para buscar uma graduação.

Nomeada em homenagem a John Harvard, a universidade é privada e recebe anualmente 22 mil estudantes de graduação.

9 de setembro

1932: Batalha do Boquerón

Boa parte dos conflitos bélicos recentes de deram por disputas por petróleo ou territórios de onde ele pode ser extraído. Aqui na América do Sul, não foi diferente quando surgiram suspeitas de que havia petróleo no sopé da Cordilheira dos Andes, na região conhecida como Chaco Boreal, que pertencia ao Paraguai. Em uma profunda crise econômica, a Bolívia enviou soldados para tentar tomar o lugar, iniciando em 1932 uma disputa que duraria quase 4 anos.

Em 9 de setembro de 1932, aconteceu o episódio conhecido como Batalha do Boquerón, quando soldados paraguaios empreenderam esforços para recuperar o forte do Boquerón, ponto importante para o controle da região. Ao final de sete tentativas, eles finalmente se apossaram novamente do forte. Contudo, a guerra não acabou ali, e os dois países continuaram o embate até a intervenção dos Estados Unidos. A última batalha ocorreu em 1935; três anos depois, os dois países assinaram um tratado de paz.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!