As guerras mudam e moldam o mundo. Ao longo da história da humanidade, elas foram responsáveis por redesenhar mapas, afastar fronteiras, separar e integrar territórios e construir grandes alianças.

Aqui mesmo na América Latina, se não fosse o general José de San Martín pegar na espada e conduzir pela mão os povos do continente, talvez nossas fronteiras hoje fossem totalmente outras. Na Europa, então, nem se fala. Durante a década de 1910, por pouco a Primeira Guerra Mundial não atrapalha os planos de um explorador de chegar ao Polo Sul — ainda bem que ele conseguiu viajar antes disso! , mas sem dúvida nenhuma a Segunda Grande Guerra perturbou, e muito, o desenvolvimento dos países e transformou o território.

Leia mais sobre estes e outros eventos que estavam acontecendo no dia de hoje no passado do Globo na coluna Drops Históricos #42.

14 de janeiro

1911: Expedição de Roald Amudsen chega ao Polo Sul

No início do século passado, as imensas geleiras nos Polos Norte e Sul do planeta ainda eram inexploradas pelo homem  ao menos até onde se sabe. Foi em 1910 que começou a primeira expedição com o propósito de chegar ao Polo Sul, partindo de bem longe, na Noruega.

O plano original de Roald Amundsen e seus companheiros de expedição era serem os primeiros a conquistar o Polo Norte e o Ártico; porém, ele foi "furado" por colegas um tempo antes de conseguirem chegar. Foi então que, em 1910, começou a ser planejada uma viagem para bem mais longe, no Sul.

Inicialmente, Amundsen não revelou a ninguém seus planos, para evitar atrair olhares de competidores. A bordo de seu navio de exploração, o Fram, ele partiu em 1910 e, em 14 de janeiro de 1911, chegava à Baía das Baleias, na plataforma de gelo Ross, a barreira de icebergs em que pretendia montar acampamento. Ele e seus companheiros ficaram no local até o dia 15 de fevereiro.

15 de janeiro

1943: Inauguração do Pentágono

Localizado em Arlington, no estado de Virgínia, o Pentágono  como é chamado o prédio do Departamento da Defesa dos Estados Unidos  começou a ser construído (ironicamente ou não) em 11 de setembro de 1941, durante a Segunda Guerra Mundial. Na época, o lugar era conhecido como Arlington Farms; o nome Pentágono só surgiu depois que a edificação começou a tomar a forma de cinco lados.

Construído por solicitação do General Brigadeiro Breon B. Sommervel, Chefe da Divisão de Construção do exército norte-americano, o lugar tinha como proposta inicialmente atuar como uma espécie de depósito para o Departamento de Guerra, e, depois que o conflito terminasse, usá-lo como hospital, escritório ou galpão de estocagem.

O espaço é praticamente uma cidade, com 583 acres de área e 25,6 mil funcionários, e lá dentro caberiam facilmente vários dos principais monumentos americanos.

16 de janeiro

1991: Bombardeios na Primeira Guerra do Golfo Pérsico

No começo da década de 90, o Iraque estava em conflito com meio mundo por conta da ocupação do Kuwait por tropas de Saddam Hussein. Por volta de agosto de 1990, esse conflito começou a tomar formas mais violentas, e outros países iniciaram intervenções mais rigorosas.

Naquele ano, a Organização das Nações Unidas autorizou uma coalizão internacional a intervir na situação; por meses o Golfo Pérsico se tornou uma zona de guerra, que foi intensificada no conflito de 43 dias. Este, por sua vez, começou na noite de 16 de janeiro de 1991, quando aviões norte-americanos bombardearam a infraestrutura militar do Iraque.

Foram mais de 100 mil surtidas aéreas, mas a coalizão utilizou também armas menores, canhões, foguetes e outros tipos de armas, para as quais o armamento iraquiano também tinha similares.

A guerra terminou apenas em 10 de março daquele ano, quando os cerca de 540 mil soldados norte-americanos começaram a retornar para casa.

17 de janeiro

1786: Descoberta do Cometa Encke

No século 28, cientistas e astrônomos já haviam descoberto que havia um cometa que tinha passagem periódica pela Terra, o Halley. Mas, em janeiro de 1786, o francês Pierre Méchain  que andava observando o céu na região da constelação de Aquário  percebeu um astro com brilho médio e cauda estreita, ao qual deu o nome de Encke.

A nomeação foi uma homenagem ao astrônomo Johan Franz Encke, astrônomo que descobriu a existência de cometas de período curto — aqueles que não levam muito tempo para dar as caras por aqui. E é exatamente isso que o Encke é: a cada 3,3 anos, aproximadamente, ele faz uma passagem pelo planeta. A última vez foi em 10 de março de 2017; a próxima será no final de junho de 2020.

18 de janeiro

1943: Primeira Revolta do Gueto de Varsóvia

O Gueto de Varsóvia, na Polônia, sediou alguns dos mais assustadores eventos da crueldade que marcaram o nazismo e a Segunda Guerra Mundial. A rotina de trabalho forçado, a fome, as doenças e a falta de higiene no espaço que era uma verdadeira prisão com o tamanho de um bairro inteiro levaram seus moradores a se revoltarem mais do que uma vez, e Varsóvia acabou se tornando um dos principais pontos de resistência contra o nazismo.

A primeira tentativa de liberação ocorreu em 18 de janeiro de 1943, a 2 anos do fim do conflito. A essa altura, cerca de 300 mil  das 380 mil que haviam ocupado o espaço — já haviam deixado o gueto para serem levadas aos campos de extermínio em Treblinka. Quem permaneceu, no entanto, preferiu morrer lutando do que ir para as câmaras de gás. Membros da resistência judaica tomaram o controle do Gueto e, durante quase 3 meses, conseguiram manter os alemães do lado de fora.

19 de janeiro

1817: Soldados argentinos atravessam os Andes

Hoje conhecido como o grande libertador da América Latina, José de San Martín não mediu esforços para afastar as forças espanholas deste lado do oceano e garantir a autonomia e a independência dos países colonizados. No final de 1816, ele embarcou em uma jornada de 21 dias através dos Andes, um percurso extremamente difícil por conta do território e das condições climáticas, para atacar as forças da colônia de surpresa.

No trajeto, ele foi acompanhado de Bernardo O'Higgins Riquelme, que ajudou a conduzir a tropa de 5.423 soldados — argeninos, chilenos e peruanos — cujo objetivo era liberar o Chile e o Peru e conquistar a independência.

20 de janeiro

1890: É criado o Hino Nacional do Brasil

Depois da Proclamação da República Brasileira, o governo do país decidiu que já era hora de deixar para trás o hino monarquista que até então era utilizado por aqui — a Marselhesa.

Foi então que, em 1889, foi lançado um concurso para a criação de uma nova canção oficial em homenagem a estas terras. O vencedor foi Leopoldo Miguez, mas a sua composição era apenas de uma música, sem letra, e ela ficou conhecida como Hino da Proclamação da República. Ainda assim, foi oficializada em 20 de janeiro de 1890.

A versão final como a conhecemos hoje só foi alcançada em um novo concurso, em 1909, e oficializada em 1922, com  música de Francisco Manuel da Silva e letra de Joaquim Osório Duque-Estrada.