Hoje em dia, muitos colégios oferecem às crianças um sem fim de atividades extracurriculares, como esportes, idiomas e aulas de reforço. Pois, segundo Ricardo Senra, da BBC, nos EUA, além de todas essas opções, desde que a Suprema Corte do país aprovou a iniciativa de que grupos religiosos ofereçam cursos aos estudantes em 2001, membros de igrejas católicas e evangélicas passaram a criar programas focados em evangelizar a molecada.

Acontece que não foram apenas grupos católicos e evangélicos que entraram nessa de criar cursos para as crianças. De acordo com Ricardo, uma vez que a legislação norte-americana é bastante clara sobre o assunto, o pessoal do Templo Satanista dos EUA também resolveu desenvolver um programa — que serve como contraposição aos cursos cristãos oferecidos nas escolas públicas norte-americanas.

Satanismo infantil

Segundo Ricardo, o curso criado pelos membros do Templo Satanista foi batizado de After School Satan Program — ou Satã Depois da Escola, em tradução livre — e é apresentado por meio de um vídeo repleto de imagens de crianças intercaladas com as de bodes chifrudos, aranhas, bonecos e símbolos satânicos, além de ser embalado por sons ligeiramente sinistros e com o áudio invertido. O material é bem... original! Dê só uma olhada:

De acordo com as informações que acompanham o vídeo, o Templo Satânico começou a oferecer os cursos no ano passado em escolas de todo o país, e o principal objetivo é promover o raciocínio crítico e independente, assim como a liberdade de pensamento nas crianças.

Não existem informações se alguma escola nos EUA já permitiu que os cursos sejam ministrados, mas os satanistas acreditam que é importante que as crianças tenham a oportunidade de entender que os materiais aos quais elas são expostas — como cartilhas e folhetos — representam a opinião de apenas uma religião (a cristã, evidentemente) entre tantas outras que existem no mundo.

(The Satanic Temple of Detroit )

Além disso, conforme explicam os satanistas, a evangelização das crianças as ensina a temer a ira de Deus e o Inferno. No entanto, o melhor seria que elas fossem incentivadas a questionar e racionalizar sobre o que sabemos a respeito do mundo e das maravilhas que existem nele — com base em conceitos científicos, para que os pequenos cresçam sabendo apreciar, e não temer a vida. Todos os colégios abordados pelos satanistas já oferecem (ou ofereceram em algum momento) as aulinhas criadas pelos grupos cristãos.

Obviamente, a iniciativa de ensinar satanismo para a criançada nos EUA não caiu nada bem entre os grupos cristãos — que não pensaram duas vezes antes de chamar o programa de sacrilégio e lançar inúmeras ações com o intuito de impedir os “cursos satânicos”. Já os defensores do programa alegam que as aulas evangelizadoras é que deveriam ser canceladas, uma vez que são uma ferramenta usada pelos fanáticos religiosos para doutrinar crianças.

Alternativa

O Templo Satânico consiste em um novo braço do satanismo tradicional e foi fundado em 2014 por Lucien Greaves, um ex-aluno de neurociência da Universidade de Harvard. Conforme já explicamos aqui no Mega Curioso, a organização tem como objetivo encorajar a empatia e a benevolência, bem como defender a justiça, o senso comum, o conhecimento científico, os direitos humanos e a separação entre Religião e Estado.

Lucien Greaves (New York Daily News/The Washington Post/Getty Images)

De acordo com Ricardo, desde a sua fundação, o Templo já inaugurou escritórios em 13 estados norte-americanos e vem ganhando cada vez mais adeptos pelo mundo — incluindo aqui no Brasil. Entre eles, aliás, há vários que defendem que os cursinhos infantis sejam trazidos para cá também.

Nos EUA, o projeto propõe encontros mensais com duração de 1 hora, com atividades que incluem aulas de ciências, literatura e artes, assim como de aprendizado criativo, e todos são bem-vindos, independentemente de sua escolha religiosa. Ademais, como os seguidores não “veneram” o Diabo — eles apenas o consideram como um símbolo contra a autoridade e a tirania —, as crianças não são incentivadas a adorar o Capiroto. Seja como for, o que você acha disso tudo, caro leitor?