Em tswana, a língua oficial de Botswana, mas mais amplamente falada na África do Sul, “gabola” significa “beber”; porém, recentemente também virou o nome de uma igreja que prega, além do culto a Deus, a adoração ao goró! É isso mesmo: se teu sonho era uma igreja que misturasse fé e bebida alcoólica à vontade, esse dia chegou!

O continente africano é palco de inúmeras novas práticas religiosas que têm chamado a atenção da comunidade internacional. É de lá, por exemplo, o pastor que espirrava pesticida no rosto dos fiéis para “curar” a Aids e o câncer e também o religioso que prometia curar os fiéis e libertá-los do pecado através da ingestão de óleo de motor. Teve até um cara que jurava ter o telefone de Deus!

Agora, para aumentar a lista de religiões estranhas, já podemos colocar a da Igreja Gabola: os batismos são realizados com bebida alcoólica, que também é consumida em cultos. Pode ser cerveja, uísque ou vinho, desde que, é claro, tenham sido benzidos por algum pastor da congregação.

Gabola"Tomai, todos, e bebei: mas bebei muito, viu?"

“Este é o lugar onde aqueles rotulados como ‘bêbados’ por outras igrejas são bem-vindos”, explicou Tsietsi Makiti, o pastor-fundador da nova igreja. Fundada há pouco mais de dois meses, a Gabola já tem mais de 500 fiéis seguidores e praticou mais de dois mil batismos! O mais legal é que o próprio batizado escolhe o álcool preferido para a cerimônia: se ele gosta mais de cerveja, assim é feito.

Por enquanto, a Gabola só admite homens, mas espera mudar esse cenário no futuro. O pastor Makiti sabe que se as mulheres forem permitidas atualmente na religião, elas acabariam ouvindo gracejos desnecessários dos bebuns fiéis do local. E menores de idade também são proibidos, que fique bem claro!

E o mais bizarro (ou legal) é que os cultos acontecem em um bar de verdade! A Taverna do Freddy, localizada em Joanesburgo, estava com um movimento em declínio até abrir as portas para a nova religião e agora passou a lucrar com o comércio de seus itens sagrados aos fiéis. Tem forma melhor de voltar à igreja?

GabolaParece festa, mas é culto