O excesso de cirurgias plásticas e de aplicações de botox já fez algumas vítimas brasileiras, como o Ken humano e a Andressa Urach. Agora, chegou a vez de mais um grupo participante de concursos de beleza ter sua integridade e candidatura ameaçada por conta disso: os camelos.

É isso mesmo, caro leitor: na Arábia Saudita, existe um concurso que elege os camelos e dromedários mais bonitos do país. São avaliados aspectos físicos como lábios, bochechas, cabeças e joelhos. Porém, alguns criadores resolveram dar uma turbinada em seus animais, causando a desclassificação de 12 camelos por excesso de botox no último campeonato.

A Arábia Saudita tem passado por um momento de grandes reformas culturais: os cinemas foram estão sendo reabertos depois de 35 anos, a economia pretende ser mais diversificada (atualmente, o petróleo é o principal item de lá) e as mulheres passaram a ser aceitas em estádios de futebol e no trânsito. Porém, a modernidade não inclui camelos botoxados, é claro.

cameloCamelos com botox ou pinturas corporais são desclassificados

Esses animais são verdadeiros símbolos da Arábia Saudita: os camelos são usados há séculos pelos árabes beduínos como meio de transporte, como entretenimento (tipo corridas), como alimentação e até mesmo como companheiros de estimação.

O concurso que elege o camelo mais bonito costumava ser realizado no meio do deserto, mas desde o ano passado foi transferido para os arredores de Riade, a capital do país. Além do “Mister Camelo”, também são organizados feiras, exposições e corridas, com mais de R$ 180 milhões em premiações – não é à toa que animais modificados merecem ser desclassificados, não concordam?