Se você não conhece, provavelmente imagina como é um apartamento quitinete. Ele tem seu valor quando a moradia é provisória ou se a grana está curta, mas a limitação de espaço é evidente. De qualquer forma, esse tipo de imóvel está dentro da realidade das cidades brasileiras, mas em Hong Kong não é bem assim.

1

Ela foi considerada, nos últimos 7 anos, como a cidade mais cara para se comprar um imóvel no mundo, de acordo com a Demographia International Housing Affordability Survey. Como solução para esse problema, o arquiteto James Law, morador da cidade, desenvolveu uma solução barata e prática a fim de diminuir custos de residências.

2

Parece loucura, mas a ideia consiste em adaptar tubos de concreto com 2,50 metros de diâmetro, utilizados para obras de saneamento, deixando disponível ao habitante um sofá que vira cama, prateleiras, um frigobar, micro-ondas e um banheiro com chuveiro.

3

O OPod, nome dado pelo seu criador, é somente um protótipo atualmente e está em processo de aprovação com a prefeitura da cidade. Os cômodos possuem 9,30 m² (uma vaga de garagem normal tem aproximadamente 12 m²) e serão vendidos por US$ 15 mil. Considerando o tamanho, certamente não é barato, mas um apartamento com 55 m² na cidade custa em torno de US$ 1,8 milhão!

hong kong estrutura

Devido às dimensões dos tubos, é possível empilhá-los, posicionando conjuntos habitacionais em balsas, entre prédios ou até embaixo de viadutos. Por pesarem 22 toneladas cada, não precisam de fixação individual após empilhados. O arquiteto acredita que essa seja uma solução para pessoas que vivem em condições extremas, devido ao alto preço dos imóveis e, consequentemente, dos aluguéis.