A doação de órgãos precisa ser cada vez mais incentivada, principalmente porque muita gente acha que é preciso morrer para poder doar. Em vida, é possível doar pedaços do pâncreas, do fígado e, excepcionalmente, do pulmão, além do rim e da medula óssea – esta última é uma das mais solicitadas, já que a compatibilidade nem sempre é tão alta mesmo entre irmãos, por isso existem bancos de cadastro para descobrir potenciais doadores.

Já o rim é um órgão que a grande maioria das pessoas só doa para parentes. Quem tem os dois rins saudáveis, pode tranquilamente viver apenas com um e fazer com que uma pessoa que não tenha nenhum dos dois em perfeito funcionamento ganhe uma nova esperança de viver. Agora, você doaria o seu para alguém que nunca nem sequer viu na vida? Esse foi o caso da técnica dentária Jessica Morris, de 30 anos.

No réveillon, Jessica colocou como resolução de ano novo salvar a vida de alguém. Mas como fazer isso? Ela mora em Orange County, na Califórnia, a apenas 2 horas de distância de David Nachere, um escritor de 30 anos que precisava ter a vida salva: ele sofria há mais de 6 anos de insuficiência renal e já tinha aceitado a morte iminente, visto que não achou nenhum doador compatível entre seus familiares e amigos.

rimDavid fez o transplante em junho

A primeira vez que ele teve problema renal foi aos 3 meses de idade e, de lá para cá, já tinha feito mais de 27 cirurgias e desenvolvido a Doença de Crohn, que se apresenta como uma grave infecção no intestino. Nisso, seu segundo rim começou a falhar, e David perdeu completamente as esperanças de sobreviver, mas, mesmo assim, decidiu jogar uma última cartada: publicar sua história na internet.

O relato chegou ao conhecimento de Jessica, que rapidamente se prontificou a doar um de seus rins caso eles fossem compatíveis. Ela foi direta ao contatá-lo, mas David ficou receoso e desconfiado. Afinal, como que uma desconhecida iria fazer algo tão grande para outra pessoa que ela nunca viu na vida? Outras pessoas que responderam a seu anúncio estavam dispostas a vender o órgão, mas isso é bem ilegal – e caro pra caramba!

Foram dois meses de intensa preparação e de uma bateria de exames para confirmar que Jessica poderia ser sua doadora. A cirurgia aconteceu em junho e, ainda que possa gerar complicação para ambos no futuro, Jessica não se arrepende e David voltar a ter fé em sua recuperação. Em entrevista, ela garante que eles serão amigos para o resto da vida, afinal, agora David leva uma parte dela consigo.

transplanteAmigos para sempre

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!