Do grego antigo ákros+pólis, acrópole significa cidade alta. E é bem lá no alto da atual Atenas que estão localizadas as ruínas de uma das mais incríveis cidades da Antiguidade clássica grega. Embora seja a mais famosa de todas, ela não é a única de todas as acrópoles da Grécia antiga. Também há mais exemplos na redondeza, como Argos, Tebas, Corinto e várias outras.

Essas grandes cidades, construídas como um verdadeiro centro da vida e cultura local, tinham uma estrutura tão complexa e completa, tão resistente, que estão de pé até hoje. Que tal descobrir um pouco mais sobre elas, mais especificamente sobre Atenas? Venha com a gente!

1. Ruínas mais antigas do que se pensa

Evidências mostram que algumas das habitações na área datam de entre 4000 e 3200 a.C. e variam entre casas, tumbas e objetos. Atenas concentra também grandes depressões que se pensa serem poços, mas que também se suspeita que tenham sido tumbas diferentes das já conhecidas, visto que vários restos mortais foram encontrados lá.

2. Cores de Atenas

Por mais que hoje a imagem que tenhamos da Acrópole reflita os tons de branco e bege deste mármore que sobreviveu a milênios, ela nem sempre foi assim. Testes recentes realizados com laser indicam que a cidade, na verdade, era colorida em tons de verde, vermelho e azul! Pois é!

3. Fornecer o mármore: uma tarefa hercúlea

Imagine carregar pedras e mais pedras enormes morro acima, em uma quantidade suficiente para construir toda uma Acrópole? Durante as décadas em que a cidade foi construída, todo o mármore necessário para compor as estruturas de Atenas foi levado do Monte Pentelicus, que fica 16 quilômetros ao norte da cidade.

Então, além da dificuldade para extrair e lapidar as pedras, que já não era lá um trabalho muito fácil, eles precisavam carregar as rochas de lá até o topo do morro.

4. Comandada por uma gigante estátua de Atena

A deusa da guerra e da civilização era quem comandava a metrópole grega do mais alto ponto da cidade. Uma estátua gigante de ouro e mármore foi construída no auge de Atenas, assinada pelo escultor Fídias, mas foi uma das estruturas que infelizmente não resistiram ao tempo.

Com mais de 12 metros de altura, a gigantesca estátua era um feito para a escultura da época, coberta em joias e vestida de armadura. Hoje, sabe-se que ela existia e como ela era graças a réplicas construídas pelos romanos. Desde então, artistas vêm reproduzindo a estátua, e cópias em miniatura podem ser vistas em museus como o Nacional de Arqueologia de Atenas.

5. Construídos com rapidez

Na época da Antiguidade clássica na Grécia as tecnologias eram tão avançadas que as principais estruturas em Atenas foram erguidas em cerca de uma década. É o caso do Parthenon, do templo Erechteion, dos portões Propylaea e do próprio Templo de Atena, erguidos no século 5 a.C., logo após a vitória dos gregos contra os persas.

6. Estrutura de proteção

Como boa parte das cidades, a acrópole de Atenas foi construída com propósitos de defesa. Estando no alto, o povoado estaria mais seguro, com uma melhor vista e estrategicamente posicionado em caso de guerras com outros grupos.

7. Diferentes religiões em sua base

Se hoje em dia é difícil manter estado e religião separados, a Acrópole grega, então, nem tentava. A cidade passou por diferentes fases quando o assunto é a fé. No século 6 a.C., surgiram os templos pagãos da cidade, mas ao longo dos anos ela presenciou a construção de igrejas como a Catedral Bizantina, no século 6, e de monumentos católicos em 1200. Quando o Império Otomano dominou a região, no século 15, foi a vez de as mesquitas muçulmanas também passarem a integrar a paisagem.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!