Se você já esteve em aeroportos sabe que é muito comum ter pessoas esperando em frente ao portão de desembarque, muitas vezes segurando placas com o nome de alguém. Isso acontece para que pessoas que não se conhecem consigam se encontrar com facilidade, tornando quase impossível buscar a pessoa errada. Mas como dissemos, quase impossível, não impossível.

E foi esse o problema com o usuário do Reddit identificado como "u/Pmccully/", que dividiu no site um mal-entendido que aconteceu no aeroporto e fez ele ser algemado por policiais. Ele mora próximo a um aeroporto nos Estados Unidos e em seu tempo livre faz trabalho voluntário em um centro comunitário turco. Na última semana, pediram para que ele buscasse uma senhora da Turquia no aeroporto que mal falava inglês e o bom samaritano resolveu aceitar a tarefa munido do sobrenome da mulher, "Demir", e do número do vôo.

"Eu fui para o portão internacional e imediatamente vi uma mulher do leste europeu esperando sozinha. Eu mostrei a placa com o nome Demir e ela sorriu, apontou para o sobrenome, para si mesma e sem hesitar colocou as malas no carro e entrou. Sobrenome? Certo. Do leste europeu? Certo. Sem falar inglês? Certo. Eu tive muita sorte!", escreveu o usuário do Reddit, relatando o momento antes do caos se instaurar.

(Fonte: Pexels)

Seria uma jornada de 35 minutos do aeroporto até o centro comunitário turco, mas após cerca de 15 minutos, a passageira pega o celular e começa a falar freneticamente, em turco, e o motorista não entende nada. "Dez minutos depois, eu estou na via expressa quando um policial me para e, quando eu percebo, a senhora está mostrando no celular que eu não sou o motorista do Uber... O policial me diz para sair do carro e eu sou algemado", contou ele, que ficou sem entender o que estava acontecendo.

Quando finalmente um policial parou para ouvir a história, ele ligou para o centro comunitário turco e colocou a senhora na linha para explicar o que aconteceu. Acontece que o sobrenome "Demir" é como o nosso "Silva" aqui no Brasil, extremamente comum na Turquia! Quando a senhora viu a placa, ela supôs que seria o motorista do Uber, mas na jornada viu que o carro não estava indo em direção ao destino dela.

No fim das contas, o nosso herói que só queria ajudar foi liberado pelos policiais e a história se tornou um sucesso no centro comunitário.