A Jaguar Land Rover está adaptando a tecnologia dos painéis flexíveis de AMOLED para serem usados em seus veículos. Esses painéis já são utilizados em dispositivos portáteis dobráveis e, se fossem utilizados para cobrir a carroceria de um carro, o automóvel poderia ser personalizado com um visual completamente novo em poucos segundos.

A companhia está realizando pesquisas com base na tecnologia LESA (Lightweight Eletronics in Simplified Architecture, ou eletrônicos leves de arquitetura simplificada, em português) e afirma que, por meio dela, os carros poderão ter interiores sensíveis ao toque, sem a necessidade de botões físicos, e até mesmo carrocerias cobertas com uma superfície (basicamente AMOLED flexível) que muda de cor.

Tela feita em AMOLED flexível. (Fonte: B9/Reprodução)

Como a LESA funciona

Para criar um dispositivo baseado em LESA, é necessário usar um software que transforma uma determinada peça 3D em uma estrutura bidimensional, como se tivesse “desdobrando-a”. A partir daí os circuitos e componentes que serão utilizados são mapeados na superfície plana, que depois é “dobrada” no objeto 3D original.

No final do processo, a peça é fabricada com os circuitos já impressos em seu interior.

Como os circuitos são impressos em materiais não metálicos, os eletrônicos baseados em LESA são menores e mais leves que os convencionais, o que permitiria adicionar mais sistemas aos veículos, para aumentar a quantidade de recursos e funcionalidades. Até mesmo painéis solares poderiam ser implementados.

A Jaguar Land Rover já criou um protótipo de painel de controle aéreo baseado em LESA. Ele tem apenas 3,5 milímetros de espessura, enquanto a peça convencional tem 5 centímetros, além de ser 60% mais leve.

Vários setores da indústria já estão aproveitando os benefícios da eletrônica estrutural, mas ainda não temos previsão de quando ela chegará aos carros da montadora.

Carros do futuro terão carroceria que muda de cor; só falta modo escuro via TecMundo