A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta terça-feira (23) a retomada de ações de combate ao espalhamento do novo Coronavírus (COVID-19) por meio de fiscalização em aeroportos. De acordo com o comunicado oficial, medidas serão tomadas para monitoramento de funcionários e passageiros em "aeronaves, nas áreas de embarque e desembarque e nos demais locais de acesso restrito".

A retomada foi possível por uma decisão do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região e acaba com os planos de alguns governos estaduais, como o da Bahia, que havia solicitado uma liminar para instalar barreiras sanitárias por conta própria em suas respectivas regiões.

Com a decisão, agências estaduais agora poderão apenas agir de forma complementar ao que for proposto pela Anvisa, ou realizar campanhas próprias em áreas de circulação comum nos aeroportos.

O que fazer?

Quem apresentar sintomas retornando de viagem deve procurar o posto médico do aeroporto para ser examinado e imediatamente separado dos demais.

Já governos estaduais que realizarem ações próprias, como um método de triagem de passageiros recém chegados com controle de temperatura, terão que utilizar meios próprios, fora das áreas de acesso restrito dos aeroportos e garantindo a devida avaliação clínica e encaminhamento dos viajantes à unidade de saúde.

Um dos motivos apontados pelo mais recente relatório do órgão é que a simples medição térmica não é o suficiente para um diagnóstico em quem ainda não apresenta sintomas, mas já está infectado.

Covid-19: Anvisa detalha como será a fiscalização em aeroportos via TecMundo