Nina Rudchenko, de 57 anos, sofreu um ataque extremamente brutal por parte de seus vizinhos violentos. Eles a espancaram durante horas e, para completar, ainda a enterraram viva em um cemitério local. Nina ganhou as manchetes dos noticiários internacionais no começo do mês de abril, após ter seu caso chocante divulgado pela mídia de sua cidade.

Em depoimento à polícia de Poltava, a mulher afirmou que estava em sua residência na vila de Maryanske quando dois de seus vizinhos, de 27 e 30 anos de idade, invadiram a casa e então começaram a agredi-la com seus próprios punhos e também um taco de beisebol. Ela ainda afirmou ter sido espancada por horas antes de desmaiar e acordar em um cemitério da região.

(Fonte: NTN / YouTube / Reprodução)(Fonte: NTN / YouTube / Reprodução)

Os vizinhos são irmãos e foram identificados como Oleg e Vladimir. Os dois a arrastaram já inconsciente para o local no meio da noite. Por lá, segundo o relato, eles a acordaram com água fria e ainda a obrigaram a cavar sua própria cova com uma pá. Para realizar o ato, Nina estava cambaleante e então foi ameaçada pelos irmãos para que lhes desse sua casa. Eles ainda disseram que caso ela se recusasse, eles queimariam sua irmã e enterrariam seu genro próximo à sua cova.

O ataque brutal terminou apenas quando os irmãos pediram para que ela se deitasse no túmulo e a cobriram com a terra. Aos repórteres locais, Nina também disse que conseguiu se manter firme e com sangue frio enquanto a terra caía sobre sua cabeça. Quando percebeu que os agressores haviam desaparecido, ela cavou incansavelmente com suas próprias mãos para conseguir sair da cova.

De acordo com uma reportagem realizada pela rede ucraniana NTN (a seguir, em russo), apesar de ter conseguido escapar de sua morte após ser enterrada viva, ela desmaiou ao chegar em casa. Sua irmã foi quem a encontrou desacordada e então chamou a polícia. Ao ser levada para um hospital próximo, a mulher foi diagnosticada com várias fraturas e inúmeros hematomas em seu rosto, membros e tronco.

Por conta dos ferimentos em sua cabeça, vários desmaios lhe ocorreram já no hospital. A ucraniana ainda tinha medo de voltar pra casa, pois seus agressores ainda não tinham sido detidos pela polícia. No entanto, um inquérito policial foi instaurado para processar os dois irmãos, que caso sejam condenados podem passar até cinco anos na prisão.

Ao serem ouvidos pela polícia, eles admitiram ter atacado a mulher, mas alegaram agiram em vingança, pois ela havia roubado seu cachorro, desaparecido há cerca de seis meses. A mãe dos dois irmãos ainda acusou a família de Rudchenko de roubo e disse à imprensa local que ela não acredita que seus filhos torturaram Nina. Mesmo com o depoimento à polícia e a confissão dos agressores, ainda não há informações sobre eles terem sido detidos.