Imagine um antigo avião que permaneceu congelado sob nada menos que 80 metros de gelo durante um período de cinco décadas. Você consegue visualizar essa aeronave voltando a voar como se nada tivesse acontecido? Pois esse é o caso de um caça bimotor da Segunda Guerra Mundial que ficou todo esse tempo enterrado sob um imenso bloco de gelo — até ser recuperado e colocado novamente em atividade!

De acordo com Jay Bennett, do site Popular Mechanics, o avião em questão é um Lockheed P-38F-1-LO Lightning que hoje é conhecido como “Glacier Girl” — ou “Garota do Glaciar” em tradução livre. A aeronave fazia parte de um esquadrão de seis caças da Força Aérea dos EUA que tiveram que fazer um pouso de emergência na Groelândia, juntamente com dois B-17 Flying Fortress da Boeing, que também pertenciam à frota norte-americana.

Missão congelada

Segundo Jay, em julho de 1942, os EUA estavam estabelecendo uma base militar no Reino Unido, em preparação à invasão que ocorreria em breve na Europa, e os aviões estavam voando até lá quando foram surpreendidos pelo mau tempo e pela baixa visibilidade. Os pilotos foram forçados a pousar sobre o manto de gelo da Groelândia e só foram resgatados nove dias depois.

Lockheed P-38F-1-LO Lightning

Todos sobreviveram ao incidente e foram levados em segurança, mas as oito aeronaves tiveram que ser deixadas para trás — e acabaram sendo soterradas por camadas e mais camadas de neve. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os aviões acabaram sendo esquecidos, até que dois caras de Atlanta, Richard Taylor e Pat Epps, decidiram sair em busca dos caças.

Os aviões foram finalmente encontrados em 1988 com o uso de novas tecnologias de radar e se encontravam a cerca de três quilômetros do local onde eles haviam sido deixados originalmente. Só que, como mencionamos anteriormente, depois de tanto tempo, as aeronaves estavam debaixo de um blocão de gelo de 80 metros, portanto, tirar qualquer uma delas de lá seria um baita desafio.

Resgate

Taylor e Epps não se deixaram abater pelas dificuldades e retornaram aos EUA para reunir um grupo de especialistas — e investidores, já que um resgate como o que eles pretendiam realizar não sairia barato! Então, em 1992, após uma série de expedições à Groelândia, o time traçou um plano de como a coisa seria realizada.

Aeronave semelhante à que foi resgatada na Groelândia

De acordo com o pessoal da Air&Space Magazine, primeiro, os engenheiros inseriram uma pequena sonda de alta pressão que abriu caminho através do gelo e, em seguida, o time introduziu um tubo de aço com 80 metros de comprimento até uma das aeronaves. Depois, eles usaram um aquecedor para abrir uma coluna com cerca de um metro de diâmetro e, por meio de um canhão de água quente, foram derretendo o gelo até criar uma espécie de caverna ao redor do caça grande o suficiente para que uma equipe pudesse chegar até ele.

Para tirar a aeronave do gelo, a equipe teve que desmontá-la peça a peça e içar tudo até a superfície. Todo o processo foi concluído no dia 1º de agosto de 1992 — três meses após o início da expedição e 50 anos depois de o caça ser abandonado no gelo —, e o avião desmanchado foi transportado de volta até os EUA. Uma vez lá, ele foi montado novamente, restaurado e colocado de volta para voar!

O primeiro passeio de Glacier Girl após o “descongelamento” aconteceu em outubro de 2002, mas não pense que a aeronave foi aposentada não! O caça participa até hoje de shows aéreos pelos EUA — e você pode conferir algumas imagens de suas aparições a seguir:

***

O Mega está concorrendo ao Prêmio Influenciadores Digitais, e você pode nos ajudar a sermos bicampeões! Clique aqui e descubra como. Aproveite para nos seguir no Instagram e se inscreva em nosso canal no YouTube.