Como você sabe, os furacões são fenômenos meteorológicos que, dependendo da proporção, podem ser letais. Então, imagine só se um furacão como o da imagem acima — que foi registrado em Saturno e é 20 vezes maior do que os furacões médios que ocorrem aqui na Terra — atingisse o nosso planeta!

O monstruoso evento foi flagrado pela sonda espacial Cassini da NASA, que está em órbita ao redor do sexto planeta do nosso sistema solar para coletar informações sobre a sua atividade. O furacão foi observado com uma riqueza de detalhes sem precedentes, o que permitiu que os pesquisadores da agência espacial pudessem realizar medições superdetalhadas. Você pode conferir mais imagens no vídeo abaixo (ative as legendas em português no menu):

Semelhanças

Há anos que os pesquisadores da NASA estavam de olho nessa formação localizada no polo norte de Saturno. Só as nuvens que se encontram nas extremidades do superfuracão viajam a incríveis velocidades de 150 metros por segundo, e seu olho conta com 2 mil quilômetros de largura. Além disso, o vapor caótico que compõe o furacão forma um espetacular vórtice hexagonal.

Fonte da imagem: Reprodução/NASA

Apesar da gigantesca proporção, o furacão é muito semelhante aos que ocorrem aqui no nosso planeta. Mas foi graças ao espectrômetro de infravermelhos da Cassini e aos raios solares que atingiram a área no momento certo que os cientistas puderam realizar uma melhor observação do fenômeno.

A equipe descobriu, por exemplo, que o furacão se alimenta de pequenas quantidades de hidrogênio presentes na atmosfera de Saturno, algo que é de extrema importância para o entendimento da dinâmica do planeta. Além disso, apesar de os furacões saturnianos não se formarem pela presença direta de água, eles ocorrem pela presença de vapor em sua superfície, o que pode ajudar no entendimento sobre a formação desses eventos aqui na Terra.