Que atire a primeira pedra quem nunca fez um xixizinho no mar em um momento de aperto e sem um banheiro por perto na praia. Se você faz parte dessa turma, pode ficar tranquilo, pois o ato de urinar no oceano foi comprovado como inofensivo pela Sociedade Americana de Química (American Chemical Society – ACS).

De acordo com os químicos da ACS, não só não tem problema urinar no mar como também a ação pode ajudar a fauna marinha a crescer. Para ilustrar melhor os dados, a ACS produziu um vídeo de animação a fim de explicar tudo de uma forma fácil e divertida. O vídeo está em inglês, mas logo abaixo vamos mostrar porque fazer xixi no mar não causa nenhum estrago.

Quando uma pessoa urina no mar, ela libera uma série de compostos que as plantas aquáticas necessitam para crescer. A urina é formada de 95% de água, enquanto ainda contém íons de sódio e cloreto. Já o mar é formado por 96,5% de água e também contém esses elementos, embora em uma concentração bem mais elevada. Ambos, a urina e a água do mar, também contêm potássio.

Quantidade sem importância

Portanto, quase tudo o que tem na urina, tem no mar e isso não é capaz de alterar drasticamente qualquer organismo marinho. Além de tudo, o vídeo da ACS explica que a quantidade de ureia que os seres humanos lançam no mar pode ser considerada apenas uma gota na imensidão.

Por exemplo, o volume do Oceano Atlântico é de 350 quintilhões de litros. Em comparação, mesmo se todos os sete bilhões de habitantes da Terra fizessem xixi no mar, a quantidade de ureia seria ainda de aproximadamente 60 partes por trilhão, o que significa uma porção muito pequena.

Além disso, a ureia contém uma grande quantidade de nitrogênio, que se combina com a água para produzir amônia. A amônia, por sua vez, alimenta a vida vegetal do oceano, sendo realmente benéfica nesse sentido.

Por fim, o vídeo ressalta que todos os animais no oceano também fazem xixi na água. Uma baleia, por exemplo, pode lançar cerca de 970 litros de urina por dia no mar. "Então, se eles não estão prejudicando as coisas, você certamente também não está”, diz o vídeo.

Portanto, se a vontade de xixi apertar (só de xixi!) enquanto você estiver no mar, sinta-se à vontade para fazer. No entanto, o vídeo advertiu os turistas que não se “aliviem” em áreas protegidas, tais como recifes de corais. Não é preciso nem dizer que essa liberação do xixi também não vale para piscinas, não é mesmo?

E não é só por questão de higiene. O que acontece é que, quando o ácido úrico reage com o cloro da piscina, dois dos compostos formados, a tricloramina e o cloreto de cianogênio, são relacionados com problemas pulmonares, podendo também causar problemas de coração e do sistema nervoso.