A humanidade ainda deve muito ao seu berço, a África. O continente muitas vezes é negligenciado, e a gente acaba não sabendo de seus problemas. Entre 1993 e 2005, Burundi vivenciou uma guerra civil motivada pela rixa entre os grupos étnicos hutus e tutsis. Mais de 300 mil pessoas foram mortas no conflito.

Marguerite Barankitse, da etnia tutsi, tentou proteger os seus vizinhos – todos hutus. Durante um tempo, ela conseguiu esconder 72 deles em sua casa, mas, quando a história veio à tona, Marguerite foi forçada a presenciar a execução de cada um deles, seus amigos de uma vida toda.

Isso a motivou a lutar ainda mais contra essa rivalidade. Na igreja onde trabalhava, Marguerite conseguiu criar um ambiente em que tutsis e hutus convivessem em harmonia. Com isso, ela salvou 30 mil crianças de serem mortas na guerra. Em abril deste ano, ela foi a primeira laureada do Prêmio Aurora, por sua contribuição para a humanidade. Além do reconhecimento, ela ganhou US$ 1 milhão.

Marguerite Barankitse ajudou a salvar a vida de 30 mil crianças durante a guerra civil de Burundi

Valores humanos

O reconhecimento de Marguerite foi devido ao seu cuidado com os órfãos e refugiados durante os terríveis anos de guerra civil no Burundi. E seu senso humanitário continuou salvando vidas mesmo depois do fim dos conflitos: em 2008, ela conseguiu inaugurar um hospital que já tratou mais de 80 mil pessoas.

O prêmio financeiro será dividido pela ativista entre três organizações que ajudam na reabilitação de crianças refugiadas e vítimas da fome. “Os nossos valores são valores humanos. Quando você tem compaixão, dignidade e amor, nada pode assustá-lo, nada pode pará-lo – ninguém pode parar o amor. Nem exércitos, nem ódio, nem perseguição, nem a fome, nada!”, disse Marguerite ao receber o prêmio das mãos de George Clooney.

O ator reforçou a importância de mais pessoas como Marguerite no mundo. “Ao reconhecer a coragem, o empenho e o sacrifício de Marguerite Barankise, tenho esperança de que ela possa inspirar cada um de nós a pensarmos sobre o que podemos fazer para defender aqueles cujos direitos são diariamente violados”, disse Clooney.

Cerimônia de entrega do Prêmio Aurora aconteceu na Armênia

***