Os espelhos que você encontra hoje com tanta facilidade surgiram há cerca de 200 anos, quando o químico alemão Justus von Liebig teve a ideia de aplicar uma camada fina de prata em um dos lados de uma chapa de vidro fino e claro. Esse processo deu origem ao estilo moderno de espelho, como o conhecemos hoje.

O conceito, porém, já é usado há mais tempo. De acordo com pesquisas publicadas em 2006 pelo cientista Dr. Jay Enoch, povos da Anatólia – atual Turquia – já vendiam o acessório, feito com vidro vulcânico, há pelo menos 8 mil anos.

Espelho, espelho meu

Fonte da imagem: Reprodução/Thenewstrack

Depois disso, 4 mil anos depois, na verdade, vidros feitos de cobre polido eram vendidos na Mesopotâmia – atual Iraque – e no Egito. Mil anos após isso, povoados na América Central e do Sul produziam espelhos com pedras polidas, enquanto os chineses faziam os seus com bronze.

Essas diferenças nos permitem perceber que os espelhos eram produzidos de materiais distintos e não começaram a ser usados em todos os lugares ao mesmo tempo – os índios brasileiros que o digam. Enquanto todos de suas tribos ficaram fascinados com o utensílio e foram enganados pelos europeus, algumas tribos de Papua Nova Guiné, já em 1970, quando tiveram acesso a espelhos pela primeira vez, ficaram aterrorizadas.