A linha que separa a realidade da ficção muitas vezes é tão tênue que se torna difícil distinguir história de mito, especialmente quando estamos falando de uma figura tão proeminente quando o príncipe Vlad III, também conhecido como Vlad, o Empalador, e pelo infame nome de Conde Drácula. No entanto, pesquisadores turcos encontraram indícios que podem revelar um pouco mais a respeito do homem que inspirou o clássico romance gótico de Bram Stoker.

Enquanto realizavam escavações no Castelo de Tokat, ao norte da Turquia, um grupo de arqueólogos liderados por Ibrahim Cetil descobriu um túnel secreto que leva ao que se acredita ser a masmorra onde Vlad teria sido preso no período próximo ao ano de 1442 – antes de se tornar o famoso Empalador. Especula-se que o longo período que passou encarcerado nesse local tenha sido determinante para forjar seu caráter sanguinário.

De acordo com documentos históricos, Drácula foi mantido na masmorra por 12 anos como refém dos invasores otomanos, ao lado de seu pai e seu irmão. Uma vez livre, ele tomou a liderança da resistência contra a invasão, na qual 80 mil de seus inimigos foram executados – destes, aproximadamente 20 mil foram empalados e exibidos na cidade de Târgoviste para aterrorizar os adversários sobreviventes.

Na última batalha, Vlad teria retornado à Valáquia e reivindicado seu lugar no trono, enfrentando os otomanos restantes em uma batalha sangrenta. Para os pesquisadores turcos, não há dúvidas de que a masmorra recém-descoberta é o local onde o cativeiro de Drácula foi criado. Confira imagens do lugar no vídeo acima e deixe sua opinião sobre esse aterrorizante personagem histórico nos comentários abaixo.