O trabalho de Leonardo da Vinci sempre nos impressiona. Seja pela beleza de suas pinturas ou pela riqueza de detalhes dos seus estudos de anatomia humana, tudo o que leva o nome do artista italiano é surpreendente. E, como já vimos aqui no MegaCurioso, os esboços deixados por da Vinci revelaram que ele também era um talentoso inventor.

Entre os famosos cadernos do século 15 é possível encontrar projetos de máquinas voadoras, paraquedas, equipamentos de mergulho e até mesmo um instrumento musical que misturava um cravo com um violoncelo que o artista batizou de “viola organista”.

Ao criar o instrumento, o objetivo de da Vinci era associar a função das teclas ao som tradicionalmente produzido por instrumentos de cordas. Mas, como a cabeça do genial artista fervilhava de ideias, esse foi um dos projetos que ele nunca chegou a concluir.

Esboços de Leonardo da Vinci sobre a viola organista. Fonte da imagem: Reprodução/This is Colossal

A história do instrumento

Depois de cerca de um século, um músico organista da cidade de Nuremberg, na Alemanha, foi o responsável por construir o primeiro instrumento de teclas e cordas, criando algo muito semelhante ao que imaginou Leonardo da Vinci. Ao longo da história, outras pessoas alcançaram feitos semelhantes, sempre com sucesso.

O mais recente músico a enfrentar o desafio de recriar o projeto do artista italiano é o pianista polonês Slawomir Zubrzycki. Depois de investir cerca de cinco mil horas de trabalho e aproximadamente dez mil dólares, o profissional apresentou sua versão da viola organista de da Vinci.

E, para demonstrar como esse instrumento é único, o pianista se apresentou junto com sua criação na quinta edição do Festival Internacional Real de Piano da Cracóvia, que aconteceu em meados de outubro deste ano, na Polônia. No vídeo da apresentação é possível ver a beleza do instrumento e perceber a peculiaridade do som que ele produz:

O diferencial da viola organista

De acordo com Hindustan Times, o interior do instrumento – fabricado em uma madeira rara – guarda 61 cordas de aço, sendo que cada uma delas está conectada ao teclado. Em contrapartida, foram usadas quatro estruturas semelhantes a roldanas em vez dos pequenos martelos que produzem o som no piano. As roldanas possuem crina de cavalo em toda a sua volta, como se fossem arcos de violino. Para fazer com que elas girem, o músico usa pedais que foram instalados abaixo do teclado.

Ao pressionar as teclas, o instrumentista faz com que as cordas encostem nas roldanas em movimento e isso dá origem a um som que pode lembrar o de um violoncelo, de um órgão ou até mesmo de um acordeon, conforme indica o site. Acima de tudo, é instigante pensar que, por mais que Leonardo da Vinci tenha sonhado com esse instrumento, ele nunca teve a oportunidade de ouvi-lo.

Então, já que nós podemos desfrutar dessa oportunidade, não deixe de conferir o vídeo (com legendas em inglês) em que Slawomir Zubrzycki explica o processo de criação da viola organista e nos dá o prazer de ouvir o som de um instrumento tão peculiar: