Nós, aqui do Mega Curioso, já falamos a respeito de locais inacessíveis ao público e praticamente impenetráveis — e você pode conferir as matérias através deste link, deste e deste também. Pois, em um dos nossos artigos, mencionamos brevemente um cofre localizado no interior de uma montanha em Germantown, Nova York, administrado por uma companhia chamada Iron Mountain.

Conforme explicamos na matéria, a Iron Mountain foi fundada na década de 50 — quando a paranoia gerada pela Guerra Fria andava em alta —, e o cofre de Germantown se encontra no interior de uma antiga mina abandonada que chegou a ser utilizada como fazenda de cogumelos. Atualmente, o local guarda todo tipo de documento e inclusive oferece proteção no caso de um ataque nuclear.

Supercofre

No entanto, esse não é o único cofre administrado pela Iron Mountain. A companhia atende mais 156 mil organizações em 36 países e conta com mais de mil cofres em todo o mundo. A empresa oferece serviços de armazenamento, proteção e gerenciamento de documentos, informações, artefatos históricos e tesouros culturais de importância mundial e para isso conta com um time de 17 mil funcionários.

Recentemente, a Iron Mountain permitiu que uma equipe de filmagens visitasse uma de suas instalações mais ilustres, um cofre que, assim como o de Germantown, também ocupa o interior de uma antiga mina — de calcário —, só que no vilarejo de Boyers, localizado próximo à cidade de Butler, na Pensilvânia. Assista ao vídeo a seguir:

* Você pode ativar as legendas em português no menu do vídeo, mas, como a tradução automática não ficou muito legal, incluímos as principais informações logo abaixo.

A estrutura se encontra instalada a mais de 65 metros de profundidade, e 15 geradores garantem que nunca falte energia na mina. E lá embaixo existe um total de 150 cofres cujos tamanhos variam de poucas de dezenas de metros quadrados a mais de 20 mil metros quadrados, sem falar que ainda há espaço de sobra para a construção de muitas outras câmaras.

Além disso, a mina conta com um lago subterrâneo com 150 acres — ou o equivalente a mais de 600 mil metros quadrados — cujas águas não passam dos 10 °C. Esse recurso é usado para refrigerar as câmaras da mina, já que muitas delas guardam materiais que, para permanecerem bem preservados, precisam ficar armazenados em condições controladas de umidade e temperatura.

Como você viu no vídeo, a maioria dos estúdios de cinema guarda os originais de seus filmes na mina — e são centenas de milhares de películas —, assim como diversas das grandes produtoras da indústria da música. Outra coleção que fica trancafiada por lá é a Corbis, de Bill Gates, composta por milhões de fotografias, negativos, slides e placas fotográficas de todas as partes do mundo, incluindo imagens histórias e alguns dos clicks mais icônicos já capturados.

Ademais, várias agências federais e grandes companhias mantêm seus centros de processamento de dados em Boyers, e só nessa instalação existem 2,7 mil pessoas trabalhando. Assim, cada vez que um cliente precisa de algum item armazenado em um dos cofres, o documento é localizado e levado até uma sala onde é copiado, digitalizado e enviado com segurança até o dono.

Agora, caro leitor, pense cá conosco... Já pensou se fosse possível calcular o valor de todos os tesouros que se encontram guardadinhos nos cofres dessa mina?