Fonte da imagem: Divulgação/TheAtlanticTodo mundo que cursou a escola básica e fundamental sempre teve suas matérias preferidas e as menos adoradas, e é quase uma espécie de inconsciente coletivo afirmar que Matemática está entre as principais disciplinas menos apreciadas pelos estudantes. Por outro lado, que jogue a primeira pedra quem nunca foi advertido por pais ou professores sobre a importância dos cálculos durante a vida adulta e as futuras profissões dos estudantes.

No entanto, menos de um quarto dos trabalhadores dos Estados Unidos afirmou utilizar em seus trabalhos diários operações mais complexas do que frações simples ou pequenas porcentagens. Os gráficos (acima e abaixo) que exibem os resultados são baseados nos dados de uma pesquisa realizada pelo pesquisador Michael Handel, da Northeastern University.

De 2004 a 2006, Handel realizou a enquete com mais de 2,3 mil pessoas que tinham ocupações fixas remuneradas, e depois ele fez uma nova tomada de questões entre 2007 e 2009. Entre as perguntas, havia uma categoria que visava descobrir quem fazia uso de operações matemáticas mais avançadas, com aquelas que envolvem álgebra e outros cálculos aproximados.

Quem usa mais?

Fonte da imagem: Divulgação/TheAtlanticAo final da tabulação dos dados, pode-se aferir que as pessoas que mais utilizam cálculos avançados definitivamente não são os executivos. Em vez disso, são os profissionais menos incumbidos de altos cargos — e mais especializados — que ficam a cargo das contas mais complicadas.

É claro que este caso sozinho não serve como base para justificar qualquer tentativa de diminuir ou mesmo de aliviar o ensino de conteúdos aritméticos mais complexos na educação de jovens. O máximo que podemos afirmar ao ver esses resultados é que a exigência atual do mercado de trabalho pode demandar menos complexidade intelectual do que imaginávamos.

Ou ainda, em outra instância, talvez fosse uma ótima oportunidade de rever alguns conceitos de aplicação prática referente ao que é visto em sala de aula em relação ao que se faz no dia a dia dos trabalhadores. Ainda assim, nunca é demais estar a par de operações matemáticas, principalmente para as finanças domésticas.