Quem nunca ouviu alguém dizer que estava com tanta fome que seria capaz de almoçar um boi inteiro? E quem nunca se esbaldou tanto em determinada ocasião que a pessoa ao lado exclamou “Cuidado para não explodir de tanto comer”?

Pois saiba que há registros de casos médicos, ainda que sejam bastante raros, em que alguns indivíduos comeram tanto em tão pouco tempo que seus estômagos simplesmente se romperam, e poucos sobreviveram para se vangloriar da façanha. Apesar de não ser exatamente uma explosão, temos certeza de que a dor que essas pessoas sentiram não foi nada parecida com a de uma indigestão.

Vejamos alguns exemplos que provam que “ter o olho maior que a barriga” pode causar graves consequências:

  • Em um dos primeiros casos de que se tem notícia de uma ruptura do estômago, registrado em 1941, uma mulher de 51 anos estourou o órgão após tomar um antiácido logo depois de ter jantado uma refeição composta de almôndegas, tomates, queijo, batatas, macarronada, uma torta e uísque. Um comentário da época dizia que “aparentemente, o gás produzido pelo antiácido dilatou o estômago até o ponto de ruptura”. Claro, porque a quantidade de comida não teve nada a ver com isso. Curiosamente, um caso bastante similar aconteceu com uma senhora de 71 anos, em 1955.
  •  Em 1963, uma nova-iorquina de 40 anos, que havia perdido cerca de 7 quilos nos dois meses anteriores à sua “explosão”, seguindo uma rígida dieta de 1 mil calorias por dia, de repente ficou muito doente após comer um sanduíche de carne enlatada. Mesmo sendo uma refeição tão pequena, o lanche causou fortes náuseas, mas ela não conseguia vomitar de forma alguma, o que a fez ter dores tão intensas que chegou a delirar. A senhora foi internada em um hospital, mas os exames iniciais não mostraram nada de anormal, e ela foi tratada com soro e uma lavagem estomacal. Depois de 11 dias, sua condição piorou, e os médicos decidiram operá-la. Ao abrirem sua barriga, eles acharam um longo rasgo no estômago, que não havia aparecido nos raios X que foram feitos quando ela chegou. A operação foi bem-sucedida, e, depois de um mês internada, a paciente recebeu alta.
  •  Em mais um caso, registrado em 1985 na revista americana de medicina The Lancet, uma jovem modelo de 23 anos faleceu por conta de uma ruptura de estômago após ter consumido, segundo os dados catalogados em sua autópsia, 1 bife de mais de 200 gramas, 400 gramas de fígado, 800 gramas de rins bovinos, 2 ovos, 1 couve-flor, 10 pêssegos, 4 peras, 4 bananas, 2 maçãs, 2 copos de leite, 2 fatias de pão e cerca de 1 kg de uvas, 1 kg de ameixas e 1 kg de cenouras.
  •  Aparentemente sendo mais comum entre mulheres do que entre homens, os casos de ruptura do estômago parecem ser especialmente mais frequentes em pessoas que sofrem de bulimia. Como exemplo, temos o caso publicado em 1994 pelo tabloide Weekly World News, da modelo Anne-Marie Boules, de 19 anos, que em um espaço de cinco horas se empanturrou de mais de 9 kg de comida. Ela consumiu 1 frango assado inteiro, 1 dúzia de asas de frango fritas, aperitivos, coquetéis de frutas, 2 canecas de cerveja, 2 bifes grandes, 3 batatas assadas, 1 couve-flor com molho de queijo, 1 fornada de pão de alho, 8 cookies e 1 pote de sorvete antes de seu estômago finalmente jogar a toalha e romper. Antes do seu colapso, a modelo de 50 kg mantinha o peso comendo apenas frutas e vegetais, mas durante sua refeição final ela parece ter comido tão rápido que nem sequer mastigava, e a ruptura foi tão severa que ela morreu de hemorragia interna em apenas 20 minutos.

Uma das causas de os bulímicos possuírem maior predisposição para uma ruptura é o fato de o estômago atrofiado ser mais fragilizado, podendo se romper com maior facilidade.

Mas para não dizer que falamos somente de terríveis mortes causadas pela explosão de estômagos, aqui está um caso um pouco diferente, por assim dizer:

  • Em um artigo publicado pelo American Journal of Forensic Medicine and Pathologyem 1986, uma mulher de 31 anos de idade que residia na Flórida chegou ao hospital com uma intensa dor abdominal. Eles fizeram uma sucção do conteúdo do seu estômago e tiraram de lá mais de 3 litros de leite, 3 pacotes inteiros de bolachas e 2 kg de cachorros-quentes. Após sair do hospital, ela deve ter achado que não aconteceria novamente e resolveu se empanturrar de novo, agora com mais hot dogs, caixas de cereais e brócolis, só que dessa vez ela não conseguiu chegar ao hospital. Foi encontrada morta em sua cozinha, caída sobre uma pilha de comida e próxima de sacolas de supermercado vazias.

Então, qual a diferença do caso dela para os demais, você deve estar se perguntando. A diferença é que o estômago dela não se rompeu. Em vez disso, ele aumentou tanto de tamanho que espremeu os pulmões da mulher, e a causa da morte foi asfixia.

E se você não consegue imaginar alguém comendo quantidades tão absurdas de comida, assista ao vídeo abaixo, em que Molly Schuyler, uma competidora profissional de concursos de comilança, ingere mais de 4 kg de carne, além de 4 batatas assadas e 2 porções de salada, regadas com 2 copos e meio de água, cada um com cerca de 1 litro. Detalhe: ela faz isso em 15 minutos.

Depois de ver tudo isso, como está o seu apetite, caro leitor? E se você conhece algum outro caso como os que vimos aqui, não deixe de compartilhar suas histórias na nossa seção de comentários abaixo.