Muitas pessoas dizem dormir mais facilmente ao ouvir o som de água, seja ele o lento vai e vem das ondas em uma praia, o burburinho irregular de um riacho ao longe ou o suave martelar da chuva na janela. Obviamente, diversos cientistas já se perguntaram qual seria o motivo para isso, e várias pesquisas já foram feitas sobre o assunto.

A resposta está na forma como nossos cérebros interpretam aquilo que ouvimos, tanto enquanto estamos acordados quanto depois de adormecer. Ao longo de nosso desenvolvimento cognitivo, passamos a identificar certos sons como indicativos de ameaças ou de algo que precisa de atenção imediata, como um grito repentino ou uma sirene, por exemplo.

Da mesma forma, outros ruídos nos passam a sensação de que tudo está seguro e de que podemos relaxar, como é o caso do som da água. De acordo com Orfeu Buxton, professor associado de saúde biocomportamental da Universidade do Estado da Pensilvânia, nos EUA, “esses barulhos lentos, sibilantes, são sons não ameaçadores e, por isso, servem para acalmar as pessoas”. “É como se eles estivessem dizendo ‘não se preocupe, não se preocupe’”, continua o pesquisador.

Basicamente, o que diferencia o ruído da água é a forma como ele desarma o “sistema de vigilância” do nosso cérebro, que normalmente é ativado apenas quando nos sentimos ameaçados. Mesmo o som das ondas quebrando na praia, que possui variações no ritmo e no volume, ainda é captado de uma forma menos intensa do que algo se quebrando subitamente ou um telefone tocando, por exemplo.

Em um estudo conduzido em um hospital em 2012, Buxton observou que 90% dos participantes que tinham acabado de adormecer eram facilmente acordados pelo barulho de alarme de algum aparelho, mesmo que o som estivesse extremamente baixo. E mesmo entre os que estavam em sono profundo, cerca de metade dos voluntários também foram despertados pelo barulho intermitente.

Nesse mesmo estudo, o cientista percebeu que ruídos como o de um helicóptero passando ao longe ou o tráfego de veículos nas cercanias não acordaram os participantes com tanta frequência quanto alarmes, telefones ou mesmo pessoas conversando. No caso da água, a constância dos sons provocados por ela abafam outros barulhos, nos passando uma sensação de segurança maior, o que nos faz dormir mais facilmente.

Então, da próxima vez que não estiver conseguindo dormir, colocar o som de um riacho para tocar em volume baixo no seu celular pode ser um ótimo remédio. Quer dizer, a menos que você seja daquelas pessoas que sentem uma vontade incontrolável de ir ao banheiro quando ouvem o som de água corrente.