A medicina está tão avançada que podemos presenciar, com frequência, casos de pessoas que recebem órgãos de outras e, depois do procedimento, passam a ter uma vida absolutamente normal. Em muitos casos, o doador é uma pessoa que teve morte cerebral e cuja família autorizou a doação – por isso é sempre bom dizer aos seus se você é ou não um doador –, mas há situações nas quais a pessoa que doa não está morta ainda.

O rim, por exemplo, é um órgão vital, o que nos indica sua extrema importância para o funcionamento adequado do corpo humano. É graças a ele que nosso sangue é filtrado e que inúmeras impurezas são eliminadas do nosso organismo. Uma das formas mais simples de garantir um bom funcionamento desse órgão em forma de feijão é ingerir bastante água – pelo menos 2L por dia.

Um rim só

Rim campeão

A questão é: se o rim é tão importante, a ponto de se apresentar duplamente na anatomia humana, como é possível que uma pessoa viva sem um dos rins? Talvez você não saiba, mas cerca de uma em cada mil crianças já nasce sem um dos rins e tem uma vida tão normal que muitas vezes só descobre isso acidentalmente, por causa de algum exame feito na fase adulta.

Uma pessoa pode perder um rim também em decorrências de trauma, sangramentos, câncer, pedras nos rins e infecções graves, que são mais comuns em pessoas idosas. Há também quem viva com apenas um rim por ter doado o outro para alguém, em caso de transplante, e, por fim, a pessoa que recebe o transplante costuma ter apenas um rim funcionando.

Cuidados

Imagem: Giphy

Ainda que seja possível viver tranquilamente com apenas um rim, é preciso ter em mente que, se esse rim sofrer algum tipo de dano, a pessoa deverá fazer um tratamento mais intenso e imediato. Alguns esportes, como futebol e artes marciais, estão entre os que mais costumam causar lesões renais, então é importante ter cuidado nesse sentido também.

Além do mais, o que ajuda a garantir uma boa saúde renal é manter hábitos de vida saudáveis, com uma dieta com pouco sal, prática de atividades físicas e manutenção do peso corporal. Não é recomendável fumar e consumir álcool em excesso também, e isso, é claro, vale não apenas para a saúde dos rins.

Pessoas que vivem com apenas um rim têm mais chances de desenvolver quadros de pressão alta e doença crônica do rim, por isso é essencial monitorar sempre a pressão arterial e fazer exames renais com frequência – a pressão arterial não deve ser maior do que 13/8, e os exames das funções renais, que são feitos por meio de sangue e urina, devem ser realizados pelo menos uma vez ao ano.