Você já ouviu falar das Múmias de Guanajuato? Elas consistem em uma coleção de cadáveres humanos que foram descobertos naturalmente mumificados durante exumações que ocorreram em Guanajuato, no México. Essas pessoas morreram durante uma devastadora epidemia de cólera que atingiu a região na primeira metade do século 19, mas, como os cemitérios locais começaram a ficar sem espaço para todas as vítimas, os corpos começaram a ser sepultados em criptas — e não mais em covas no solo.

Múmias de Guanajuato(George Pickow/Three Lions/Getty Images)

No entanto, de acordo com Gabe Paoletti, do site All That Is Interesting, devido às condições do clima local — que é quente e muito árido —, em vez de os cadáveres entrarem em decomposição, eles acabaram mumificando. Os corpos começaram a ser descobertos nesse estado em 1865, depois que o governo local passou a cobrar impostos das famílias dos sepultados e obrigar os que não tinham como pagar a taxa a exumar seus entes queridos. Sim, caro leitor, um horror!

Curiosidade mórbida

Mas horror mesmo deve ser o que os familiares sentiram ao ver que os corpos não só permaneceram preservados como, em muitos casos, os rostos dos mortos pareciam mostrar expressões de terror. Evidentemente, não existe nada de sobrenatural com relação às vítimas sepultadas durante o surto de cólera — é apenas uma macabra coincidência que tantas delas tenham sido descobertas com semblantes “aterrorizados”.

Corpo mumificado(Earl Leaf/Michael Ochs Archives/Getty Images)

Segundo Gabe, não demorou até que rumores sinistros envolvendo as múmias começassem a circular por Guanajuato, despertando a curiosidade mórbida do povo. E logo os que tinham uma veia mais fúnebre começaram a pagar aos coveiros do cemitério para que eles exibissem os pobres cadáveres.

Mão mumificada(Tomascastelazo/Wikimedia Commons)

Também surgiram histórias pavorosas sobre algumas das múmias, como a de uma mulher chamada Ignacia Aguilar — que, quando foi exumada, teria sido encontrada mordendo o próprio braço, despertando, assim, a suspeita de que ela ainda estava viva quando foi sepultada.

Corpo mumificado(César Landeros Soriano/Wikimedia Commons)

Outra múmia que ficou famosa foi a de uma jovem que morreu durante o parto e foi sepultada com seu bebê prematuro de 24 semanas. De acordo com Gabe, esse feto é possivelmente um dos corpos mumificados mais “jovens” de que se tem notícia.

Feto mumificado(Asenetp/Wikimedia Commons)

No final, um total de 111 cadáveres — homens, mulheres e crianças — foram exumados em Guanajuato entre 1865 e 1989 e, como o interesse macabro nesses mortos congelados no tempo nunca “morreu”, o cemitério acabou se transformando em uma popular atração turística e, hoje, abriga um museu que conta com 59 múmias em exibição.