Para quem pensava que essa coisa de eliminar ex-agentes secretos era coisa da época da Guerra Fria, saiba que essas coisas sinistras ainda acontecem! O último caso se deu há apenas alguns dias, quando um espião russo afastado chamado Sergei Skripal estava passeando por um parque em Salisbury, na Inglaterra, acompanhado de sua filha, Yulia, e os dois caíram perto de um banco.

Vingança

Testemunhas que estavam por perto correram para ver o que estava acontecendo e contaram que encontraram os dois espumando pela boca e com os olhos vidrados e completamente brancos. Em seguida, o corpo do ex-agente ficou completamente tenso, parou de mexer os braços e manteve o olhar apavorante fixo.

Ataque com arma química(Mirror)

A tentativa de assassinado ocorreu no dia 4 de março e, segundo o que foi divulgado até o momento, Sergei Skripal tinha 66 anos de idade e vivia na Inglaterra, e sua filha havia chegado da Rússia para visitá-lo. Tanto ele como Yulia sobreviveram ao ataque, mas continuam em estado grave no hospital. Além disso, um policial chamado Nick Bailey também foi afetado pela ação e se encontra hospitalizado.

Vítima de ataqueYulia (Mirror)

Com relação à autoria e motivação da tentativa de assassinato, a suspeita é de que os russos tenham orquestrado o ataque e que ele tenha ocorrido por vingança. Skripal foi acusado de vender segredos de estado ao pessoal do MI6 em 2006, mas acabou se livrando da pena depois de rolar uma troca entre espiões russos e norte-americanos. No entanto, parece que nem todo mundo se esqueceu do deslize cometido no passado.

Agente nervosíssimo

Horas depois do atentado, as autoridades britânicas confirmaram que se tratava de um ataque com um agente nervoso, isto é, um composto químico que age sobre o sistema nervoso central e que impede a comunicação entre ele e os órgãos do corpo, levando ao colapso do organismo.

Nós já falamos sobre a ação de dois agentes desses aqui no Mega Curioso, o Sarin, usado em um atendado terrorista no Japão em 1995, e em ataques na Síria no ano passado, e o VX, empregado no assassinato de Kim Jong-Nam, irmão de Kim Jong-Un, atual ditador da Coreia do Norte. Os dois têm ação semelhante e desencadeiam sintomas como convulsões, transpiração excessiva, vômitos, defecação involuntária, paralisia muscular, parada cardiorrespiratória e a morte.

Sergei SkripalSergei Skripal quando foi condenado em 2006 (Mirror)

Até existem antídotos para reverter o quadro, mas, se eles não forem administrados imediatamente ou se a dose do agente nervoso for muito alta, as substâncias neutralizantes não têm utilidade. No entanto, Theresa May, a premier britânica, confirmou que nem o Sarin ou o VX foram usados no ataque contra Sergei Skripal. O composto seria da família de agentes nervosos conhecida como Novichok, desenvolvida pelos soviéticos entre as décadas de 70 e 80.

E esses agentes, pelo que dizem, não são nervosos, mas nervosíssimos! De acordo com Gary Stephens, um especialista em farmacologia da Universidade de Reading, na Inglaterra, o Novichok seria entre 5 e 8 vezes mais potente e mais sofisticado do que o VX — que já é pra lá de tenso. Existem diversas variações desses compostos, eles podem ser apresentados como líquidos, gases ou sólidos, e foram produzidos pelos soviéticos para serem empregados como armas químicas.

Sua ação é bastante rápida e a pessoa que entrar em contato com a substância — seja por meio da pele ou da inalação do agente — começa a apresentar as primeiras reações entre 30 segundos e 2 minutos após a exposição ao Novichok. Algumas manifestações podem demorar até 18 horas para aparecer! Os sintomas são os mesmos que mencionamos anteriormente, e um aspecto assustador é que algumas variantes desses compostos foram projetadas para resistir à ação de antídotos. Sinistro, né?