Dizem por aí que o cão é o melhor amigo do homem — e, ao que tudo indica, ele também é um grande companheiro do futebol. O Club 2 de Mayo, equipe paraguaia que atualmente disputa a segunda divisão do Campeonato Paraguaio, estampou manchetes do país ao adotar um cachorrinho de dez anos como “assistência de campo”. É claro que o vira-lata não é considerado um membro de verdade, mas a consideração por ele é equivalente.

De acordo com Carlos Jara Saguier, treinador do clube, tudo começou quando ele viu o bichinho abandonado e lhe ofereceu um pedaço de torta. “Desde esse dia, toda vez que chego para trabalhar, ele me recebe e não se desgruda de mim”, afirmou Saguier para um jornal local. “Ele me acompanha na quadra, nos corredores, no escritório. Quando alguém se aproxima, não permite que fiquem do meu lado, ameaçando com grunhidos”, diz.

Apesar de ter ciúmes do treinador, Tesapara ganhou o coração de toda a equipe do Club 2 de Mayo. Ele até participa das sessões de treino — talvez para dar algum tipo de incentivo moral para a equipe. O cachorro tem aparecido até mesmo em fotos de entrevistas e coletivas de imprensa do time, embora ainda não ostente um uniforme azul como os jogadores que entram em campo.

“É o guardião do clube, vive ali. Quando os portões se fecham, vira uma fera; de dia é amigável, muito acessível. Ele é conhecido por todos”, ressalta Saguier. É importante lembrar que é extremamente comum — especialmente em terras gringas — que animais sejam usados como simbologia para representar times esportivos, aparecendo em seus brasões e símbolos oficiais. Porém, até onde sabemos, essa é a primeira vez que um bichano de fato entra para uma equipe esportiva.