O New York Times divulgou na última quinta-feira (23) uma reportagem na qual afirma que o programa secreto para investigar objetos voadores não identificados (OVNI's) do governo americano não foi desativado conforme o Pentágono havia declarado. Segundo o jornal, a iniciativa continua em andamento e foi citada no relatório de uma comissão do Senado no mês passado.

O relatório afirma que o programa, agora rebatizado para Força-Tarefa sobre Fenômenos Aéreos Não-Identificados e "escondido" no Escritório de Inteligência Naval, irá "padronizar a coleta e a divulgação" de encontros entre pilotos militares e veículos aéreos não explicados, e relatar ao público pelo menos parte de suas descobertas semestralmente.

Luis ElizondoLuis Elizondo

OVNI's sobre bases americanas

O ex-líder da maioria no Senado Harry Reid explicou ao Times que a missão principal do programa não é buscar provas de veículos de outros mundos, mas sim descobrir se outros países, especialmente adversários, têm usado algum tipo de tecnologia pioneira para ameaçar os EUA.

O senador republicano Marco Rubio, da Flórida, reconheceu que alguns OVNI's já sobrevoaram bases americanas, o que pode ser prova de uma tecnologia inexistente no arsenal dos EUA, ou "talvez haja uma explicação completamente boba, digamos, para isso. Mas precisamos descobrir".

O programa anterior de identificação de OVNI's chamado Programa Avançado de Identificação Aeroespacial foi oficialmente desativado em 2012. Mas o seu antigo diretor, Luis Elizondo confirmou que a nova força-tarefa evoluiu daquele antigo programa.

Elizondo integra um pequeno grupo de ex-autoridades governamentais e cientistas que, mesmo sem provas físicas, acredita que objetos de origem indeterminada caíram na Terra com materiais que foram recuperados para estudo.

Veículos de outro mundo

Fonte: PixabayFonte: Pixabay

Outro participante do antigo programa de OVNI's, o astrofísico Eric Davis, que trabalhou como contratado e depois consultor desde 2007, disse que a análise dos materiais recolhidos não conseguiu, em alguns casos, determinar sua origem. "Nós não conseguiríamos fazer com nossos recursos", disse ele.

Hoje, Davis trabalha na empreiteira de defesa Aerospace Corp. e disse que, em março passado, entregou informações sigilosas a uma agência do Departamento de Defesa sobre alguns materiais recuperados, que ele definiu como "veículos de outro mundo não feitos nesta Terra".

O senador Reid afirmou que as autoridades deveriam esclarecer melhor o que se sabe e o que não se sabe sobre o assunto. E concluiu: "É extremamente importante que informação sobre a descoberta de materiais físicos ou naves recuperadas seja revelada", afirmou.