Uma cratera gigante apareceu misteriosamente em um local com um nome um tanto sugestivo: Yamal (Península de Yamal), que significa “fim do mundo” em russo. O surgimento desse enorme buraco está intrigando os cientistas, que estão tentando ainda entender a causa dessa rara e incomum ocorrência geográfica.

De acordo com o Daily Mail, a área onde fica a cratera é na região russa do norte da Sibéria e uma equipe de pesquisadores já foi enviada para analisar o caso. O buraco tem cerca de 80 metros de diâmetro, mas ainda não se sabe a sua profundidade.

Apesar de ainda não ter certeza, os especialistas têm algumas hipóteses sobre a causa do buraco, como aquecimento global e acúmulo de gás que explodiu abaixo da superfície.

Obviamente, existem as especulações sobre o buraco ter sido feito por ETs. Porém, o mais provável mesmo, segundo os pesquisadores, é que seja um efeito do aquecimento global, que gerou a liberação de gases sob a superfície, que, em seguida, explodiram como uma rolha de champanhe.

Especialistas dizem que o escurecimento ao redor da borda interna da cratera indica "queimaduras” pela temperatura da explosão dos gases. Outra teoria é que o buraco tenha sido formado pelo impacto de um meteorito, ganhando também esse formato pela existência de gasodutos em abundância nessa região, que fica a cerca de 60 quilômetros do campo de gás de Bovanenkovo.

Ainda segundo Anna Kurchatova, do Centro de Pesquisa Científica do Sub-Ártico, a grande cratera pode ter sido causada por uma explosão subterrânea devido a uma mistura de água, sal e gás. Com o aquecimento global, as geleiras teriam derretido e entrado em contato com as reservas naturais de gás, formando um ambiente propício para “detonar”.