Embora atualmente várias pessoas prefiram manter os cabelos sem química e assumir os fios brancos quando eles aparecem, outro grupo não abre mão de tinturas regularmente. Os estilos são variados e as marcas já presentes no mercado se esforçam para oferecer nuances para todos os gostos.

Eu mesma sempre fui fã de mudar de tonalidade de cabelo e, ao longo de quase 10 anos, já testei um bom número delas, seja pelas mãos de profissionais ou em casa mesmo: chocolate, mechas loiras, diferentes tons de ruivo e até cores como verde, azul, roxo e rosa. Para quem gosta de variar o visual, assim como eu, novidades são muito bem-vindas.

Eis que, agora, uma empresa britânica chamada The Unseen — especialista em misturar ciência e design — apresentou na Semana de Moda de Londres, no último dia 16, uma tintura que muda de cor de acordo com a temperatura do ambiente. Mas como isso é possível? Mágica? Que nada! Lauren Bowkert, fundadora da companhia, lembra que “Mágica é apenas ciência que ainda não somos capazes de compreender”.

Não tem como cair na rotina assim...

Pois bem. Ela explica que a invenção se chama Fire e foi possível a partir de tinta termocrômica, já utilizada desde os anos 80 e 90 em produtos como camisetas, por exemplo. No entanto, no caso da tintura, foi preciso torná-la adequada ao uso pessoal, garantindo que não cause danos aos fios ou ao couro cabeludo. A promessa é de que a tinta funciona como as outras já disponíveis no mercado nos quesitos durabilidade e segurança.

Conforme Lauren contou à revista Forbes, “Acima de certa temperatura, uma das formas moleculares é mais estável do que a outra, e assim ocorre uma reação que produz uma molécula que absorve a luz de maneira ligeiramente diferente, dando origem a uma cor diferente... Essencialmente, a parte ativa de um sistema de coloração é uma complexa cadeia de carbono, que sofre uma reação reversível em si mesma”.

Algumas versões já estão prontas e testadas: a que varia do preto para o vermelho, do azul ao branco e do preto ao amarelo. O produto ainda não está disponível para venda, porém a desenvolvedora pretende fechar uma parceria com alguma empresa grande da área de cosméticos para levar a invenção ao público.

Eu não sei vocês, mas eu fiquei bastante curiosa, viu...