Sabe quando uma mãe ou avó dizem que  a música que os jovens escutam atualmente é mais barulhenta que as de épocas anteriores? De acordo com um estudo feito pela empresa Echo Nest, elas estão certas: as canções de hoje em dia estão mesmo mais "altas".

A companhia analisou as cinco mil faixas mais famosas lançadas desde 1950 e chegou à conclusão de que o barulho cresceu 39% nos últimos vinte anos.

Mas a música ser mais "alta" não é se o som que sai dos seus fones de ouvido pode ser ouvido na outra esquina. O tal barulho medido é a diferença de volume entre os elementos mais baixos e mais movimentados de uma canção.

O barulho cresce ao longo dos anos Fonte da imagem: Reprodução/Echo Nest

Essas partes menos agitadas estariam ficando cada vez mais barulhentas, encurtando cada vez mais a diferença entre esses dois extremos e criando a impressão de que o áudio é mais "pesado", sem que o volume necessariamente esteja maior. A compressão de sons em uma área cada vez menor é o que estaria causando esse efeito de.

Segundo o Echo Nest, isso é uma prova de que as músicas estariam cada vez menos complexas a cada ano, e de que ouvir muitas dessas faixas em sequência causa mesmo uma "fadiga auditiva".

Via Tecmundo