Nem todos têm o hábito de consumir discos em versões físicas hoje em dia. Ouvir música se tornou uma atividade facilitada por meio de serviços sob demanda, como o Spotify, Rdio e Google Play Music.

Ainda assim, todo álbum tem uma capa e toda capa tem uma função principal: representar visualmente o conteúdo que embala. Por esse motivo, alguns artistas decidiram esconder segredinhos em suas obras.

1. Soulwax – “Nite Versions" e "Any Minute Now”

Os belgas do Soulwax utilizaram o mesmo conceito de ilusão de óptica em seus álbuns de 2004 e 2005: “Any Minute Now” e o CD de remixes “Nite Versions” são ilustrados com texturas padronizadas que, de perto, não significam nada. Ao analisar as capas a certa distância, é possível ver o nome da banda e do álbum.

2. Kate Bush – “Aerial” (2005)

A paisagem composta pelo reflexo de montanhas na água é a ilustração do oitavo álbum de Kate Bush. A imagem, contudo, não é bem o que parece: a representação gráfica do canto de um pássaro chamado melro é a imagem que atua como montanha, por conta da composição[LF1] .

A referência ao pássaro na capa tem relação com a última faixa do segundo CD de “Aerial”, de nome homônimo, que possui o canto da ave em sua melodia.

3. Frank Zappa – “Trance-Fusion” (2006)

O álbum composto por solos de guitarra de Frank Zappa, gravado entre 1977 e 1988, foi lançado somente em 2006, mas é uma grande homenagem ao músico.

A forma feita pelo conjunto de golfinhos compõe uma imagem que espelha o icônico bigode utilizado por Zappa durante toda sua carreira.

4. Def Leppard – “Retro Active” (1993)

Uma recriação da obra do famoso ilusionista óptico Allan Gilbert, intitulada como All is Vanity, foi escolhida para a capa de Retro Active. A pintura de uma mulher se olhando no espelho remete ao formato de uma caveira quando vista de longe.

Vale ressaltar que a mesma ilustração já havia sido utilizada como inspiração em “Stretcher Case Baby/ Sick of Being Sick” do The Damned, em 1977, e foi influência para “Devil’s Got a New Disguise”, do Aerosmith, em 2006.

5. The Velvet Underground – “White Light/ White Heat” (1968)

A capa do LP da banda The Velvet Underground é bem minimalista, em primeira análise: o álbum inteiramente preto vem acompanhado somente do título, mas uma sobreposição em tons de preto revela uma tatuagem de caveira. Na imagem acima, levemente modificada, é possível ver a arte.

A origem do desenho vem do filme “Bike Boy”, de 1967, dirigido por Andy Warhol. No longa, Joe Spencer assume o papel principal e é visto com a mesma tatuagem. A ideia veio do próprio Warhol, em parceria com a banda.

6. Santana – “Santana” (1969)

O álbum de estreia do Santana é estampado com a imagem de um leão abrindo a boca. A figura, porém, é composta por um caleidoscópio humano: o rosto do animal é composto por nove faces, e as pernas de uma garota estão localizadas logo abaixo da cara do felino.

7. Harry Nilsson & John Lennon – “Pussy Cats” (1974)

A parceria entre John Lennon e Harry Nilsson culminou no álbum Pussy Cats. Com produção do próprio Lennon, o LP representa uma era de 18 meses conhecida como Lost Weekend (fim de semana perdido, em tradução livre), marcada por drogas e álcool na vida de ambos os músicos.

Como piada interna, a capa exibe a palavra “drogas” escrita da maneira subliminar: a junção dos bloquinhos estampados com um D e um S, divididos por um tapete (rug, em inglês), compõe a palavra “drugs”.

8. The Beatles – “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” (1967)

Além de ser um dos álbuns de maior sucesso do mundo, emplacando mais de 32 milhões de cópias vendidas, a obra dos Beatles revela muito sobre os gostos pessoais da banda.

Estampado com 66 personalidades escolhidas a dedo, o grupo figura no centro da imagem e é acompanhado por Fred Astaire, Bob Dylan, Marilyn Monroe, Sigmund Freud e até uma das pin-ups desenhadas por George Petty. Ah, e claro, bonecos de cera representando os membros da banda estão posicionados lado ao lado de suas versões em carne e osso. Nada perturbador.

9. Alice Cooper – DaDa (1983)

DaDa é um álbum que tem duas curiosidades por trás de sua concepção: Cooper não lembra de ter gravado o CD, por conta do uso de drogas, e o cantor era bem amigo de Salvador Dali, o que resultou na capa que usa uma das obras do artista.

A ilusão de óptica é causada pela imagem de dois homens parecidos com Cooper criando a silhueta da cabeça de um idoso. A imagem é proveniente de uma modificação de um quadro de Dali feito em 1940.

10. The Rolling Stones – Their Satanic Majesties Request (1967)

Lançados no mesmo ano e fotografados pelo mesmo artista, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band e Their Satanic Majesties Request compartilham semelhanças que vão além da estética.

Músicas psicodélicas e capas coloridas marcaram ambos os álbuns, mas a trupe do Rolling Stones – que, inclusive, admitiu estar sob efeito de LSD no instante da foto –, foi um pouco mais longe: dá para ver imagens de todos os membros dos Beatles escondidas no LP.