Nosso cérebro costuma nos fazer lembrar das informações que mais usamos, as mais importantes, digamos assim. Por isso nem sempre conseguimos dizer com exatidão o que comemos no almoço há cinco dias ou, talvez, a roupa que usamos nessa mesma ocasião. Às vezes, no entanto, acabamos tendo dificuldades para guardar informações que são, de fato, fundamentais.

Mesmo fora da escola, estamos aprendendo coisas novas a todo o momento. Aprender, inclusive, é uma de nossas capacidades mais poderosas, e aprender alguma coisa significa se lembrar dessa mesma coisa.

O problema é que nem sempre conseguimos guardar memórias por muito tempo, e técnicas como as ensinadas em cursinhos, por exemplo, com macetes e musiquinhas, nem sempre ajudam em longo prazo. A revista Time reuniu uma série de truques que prometem melhorar a vida de quem não se lembra das coisas com facilidade.

Antes de qualquer coisa, porém, uma boa notícia: quando você demora e tem dificuldade para aprender algo novo, é bem possível que, no final das contas, você acabe aprendendo essa coisa DE VERDADE. “O aprendizado que é fácil é como a escrita na areia: está aqui hoje, mas vai embora amanhã”, resumiram os autores deste estudo. A seguir, saiba quais são as técnicas que podem melhorar a forma como você aprende novas informações:

1 – O resgate de informações

Quando tentamos nos lembrar de alguma ideia, estamos resgatando uma memória. Uma forma eficaz de fazer esse resgate é anotar os pontos principais do que você precisa lembrar em post-its ou em um caderninho de anotações – provavelmente você já ouviu alguém dizendo que, apesar de fazer “cola” para uma prova (que feio, hein!), não precisou recorrer às anotações porque se lembrou de todas elas. Isso acontece porque nos lembramos melhor daquilo que colocamos no papel.

2 – Conexão de ideias

Ao explicar um conceito para alguém, você está elaborando uma conexão de ideias. A lógica aqui é simples: para saber se você entendeu determinado assunto, tente falar sobre ele para outra pessoa. Quanto melhor e mais clara for a sua explicação, melhor é o seu entendimento a respeito desse tema.

Se a coisa não estiver indo muito bem com a sua explicação, o jeito é treinar um pouco melhor e tentar explicar de novo. Esse exercício vai certamente fazer com que você memorize melhor a informação de que precisa. Não custa tentar.

3 – Intercalando assuntos

Quando você trabalha com coisas variadas, está intercalando assuntos, e isso é ótimo para o seu aprendizado e para melhorar a qualidade da sua memória. Jogadores de futebol, por exemplo, intercalam exercícios durante seus treinos, transformando a prática em uma espécie de gincana. Essa mistura de exercícios melhora o desempenho final dos atletas em campo. Com as informações que você aprende é a mesma coisa: você vai gravar melhor o que precisar se conseguir intercalar vários exemplos.

4 – Tente deduzir a resposta

Quando alguém faz uma pergunta e você fica tentando deduzir qual é a resposta certa, você está ajudando seu cérebro a guardar melhor determinada informação. A verdade é que quando tentamos descobrir a resposta antes de alguém nos contar qual é, acabamos exercitando nossa memória ao tentar revisar tudo o que vem à mente e que tenha relação com o tema.

Se você tiver sucesso na sua missão de tentar deduzir a resposta, vai se lembrar dela com muito mais facilidade do que aconteceria se alguém simplesmente explicasse tudo para você. Então da próxima vez que aquele seu professor perguntar se alguém sabe da resposta para determinada questão, lembre-se disso: tentar deduzir é ótimo para o aprendizado.

5 – Avaliação e reflexão

Antes da temida prova final, o professor resolve fazer um aulão com a revisão dos pontos principais da matéria. Depois que o aulão acaba, você se esforça para lembrar os tópicos abordados pelo professor. Esse exercício é fundamental para a sua memória. Enquanto tenta se lembrar de tudo, você acaba percebendo o que foi abordado, reconhecendo seus pontos fracos, vendo como pode melhorar e estabelecendo conexões de memória.

Uma pesquisa feita em Harvard revelou que fazer essa avaliação por escrito é algo realmente eficaz quando o assunto é melhorar o desempenho profissional ou acadêmico: colocar no papel aquilo que você se lembra de ter ouvido na aula ou na reunião de trabalho, todos os dias, em um exercício rápido de 15 minutos, pode elevar seu desempenho em até 23%.

6 – Macetes mnemônicos

Aí está uma especialidade dos professores de cursinho, que criam siglas, analogias, musiquinhas e formas diferentes de fazer com que fórmulas e conceitos fiquem impregnados na memória dos vestibulandos. Os autores do estudo explicam que esse tipo de recurso pode não ser o melhor quando o assunto é se lembrar de algum conceito a longo prazo, mas ajuda quando a informação não precisa ficar conosco por muito tempo.

7 – Calibragem

Quando você tem um retorno negativo a respeito do seu desempenho, você está calibrando aquilo que realmente sabe. É bastante comum que tenhamos o que a ciência chama de “ilusão cognitiva”, que é quando achamos que sabemos sobre determinado assunto, mas na verdade não entendemos tanto assim sobre ele.

É por isso que ouvir de algum amigo, do seu professor ou do seu chefe que você pode aprender mais sobre algum tema específico é uma boa forma de resolver essa ilusão cognitiva. Quando for criticado, então, agradeça.

***

Agora conte para a gente: você tem alguma técnica infalível de fixar em sua memória um novo aprendizado?