Como todo mundo sabe, os grandes felinos — como leões, guepardos, onças etc. — estão desaparecendo rapidamente do planeta, sendo assim, é proibido comercializar qualquer produto obtido a partir desses animais. No entanto, de acordo com o site Knowledge Nuts, na China existe um mercado pra lá de vibrante envolvendo vinhos e outras bebidas alcóolicas produzidas com ossos de tigre.

Atualmente, os tigres figuram entre as espécies extremamente ameaçadas de extinção, e as estimativas apontam que existam entre 3,5 mil e 4,7 mil exemplares vivendo na natureza. Na China, aproximadamente 5 mil tigres são mantidos em cativeiro e, infelizmente, desses muitos são criados para abastecer o lucrativo mercado de vinho, comercializado no país como medicamento.

Bebida medicinal

Para preparar a bebida, os fabricantes deixam os ossos embebidos em vinho, e o produto final é vendido para tratar uma série de doenças, como — obviamente — a artrite e outros problemas ósseos. E cada garrafa do vinho é comercializada por mais de US$ 800, ou seja, mais de R$ 1,7 mil.

Considerando que a renda média de uma família na China era estimada em US$ 2,1 mil em 2012, então, é fácil compreender o motivo de o alvo dos vendedores ser a classe média-alta. Aliás, leilões são organizados para vender o vinho medicinal, e caixas do produto facilmente ultrapassam os US$ 30 mil, ou seja, mais de R$ 65 mil.

Venda proibida

A comercialização de qualquer produto feito a partir de partes dos corpos de tigres foi banida na China em 1993, portanto, todo o negócio — desde a fabricação até a venda e a organização de leilões — é altamente ilegal. Até mesmo os produtos produzidos antes de a proibição ser decretada são considerados ilegais, e existem várias organizações ambientais e de proteção aos animais pressionando as autoridades chinesas para que elas ponham um fim aos leilões.

Segundo o Knowledge Nuts, parece que a pressão está surtindo algum efeito. Conforme contaram, depois de um dos leilões ser impedido, um dos compradores presente na ocasião teria dito ficar decepcionado porque o vinho é realmente bom, mas havia muito, muito tempo que ele não conseguia encontrar uma garrafa para comprar. Que bom!