Você certamente já viu o retrato acima, não é mesmo? Ele estampou a capa da edição de junho da National Geographic que foi para as bancas em 1985, e se transformou em uma das imagens mais icônicas da revista. Clicada pelo foto jornalista norte-americano Steve McCurry, a fotografia mostra a afegã Sharbat Gula que, na época, tinha cerca de 12 anos de idade e vivia em um campo de refugiados próximo a Peshawar, no Paquistão.

Pois, de acordo com o portal Los Angeles Times, a protagonista da capa foi presa esta semana sob a acusação de fraude. Segundo as informações divulgadas, Sharbat teria conseguido documentos de identidade paquistaneses para ela e os filhos — o que é proibido, visto que ela é uma refugiada de nacionalidade afegã.

Acusação de fraude e prisão

Até onde se sabe, Sharbat teria sido levada a uma prisão feminina, onde deve aguardar por uma decisão judicial.  Entretanto, se for considerada culpada, ela pode ser expulsa do país ou passar até sete anos atrás das grades.

Além disso, com relação aos “filhos” — dois homens chamados Rauf e Wali Khan —, como é relativamente comum que refugiados registrem outras pessoas como sendo seus familiares, ainda não se sabe se os rapazes realmente são filhos biológicos da afegã.

Essa é Sharbat Gula atualmente

No momento, existem quase três milhões de refugiados afegãos vivendo no Paquistão e, desses, apenas 1,5 milhão se encontra registrado legalmente no país. O problema é que ainda assim, muitos refugiados portam documentos falsos ou obtidos através de subornos, o que motivou uma investigação por parte do governo paquistanês.

Segundo apuraram as autoridades, Sharbat teria conseguido as identidades paquistanesas em 2014, e ela também estaria em posse de um documento de identificação de refugiada e de um passaporte afegão — com o qual ela teria viajado até Meca para realizar a peregrinação feita pelos muçulmanos até a sua cidade santa. Entretanto, a identidade paquistanesa seria ilegal e teria sido registrada com o nome Sharbat Bibi.

Menina afegã

Sharbat foi uma de milhões de afegãos que fugiram para escapar da guerra civil que arrasava seu país, iniciada depois que as tropas soviéticas invadiram o Afeganistão em 1979. Segundo recorda Steve McCurry, ele estava perambulando pelo campo de refugiados quando se deparou com uma escolinha improvisada para meninas — e com os penetrantes olhos cor de esmeralda da garota. Veja a imagem novamente:

A icônica menina afegã

Na verdade, a protagonista do retrato permaneceu anônima até que um time da National Geographic conseguiu encontrá-la anos depois, em 2002, no Paquistão. Foi só então que eles descobriram o nome da — então — menina da capa e, após conseguir permissão de sua família, conseguiram conversar com Sharbat. Ela disse se lembrar de ficar brava com McCurry por ele fazer a foto, a primeira de sua vida.

Sharbat Gula aos 12 anos de idade

McCurry, por sua vez, quando viu a menina, soube, naquele instante, que aquele era o único retrato que ele queria clicar — e a imagem acabou se transformando no maior sucesso de vendas da história da National Geographic. É uma verdadeira pena que a história de Sharbat não tenha tido o mesmo sucesso...