Quando pensamos em Mônaco, é impossível não associar o pequeno Principado aos seus cassinos, ao extravagante distrito de Monte Carlo, às praias badaladíssimas, ao glamour de sua população e ao Grande Prêmio de Fórmula 1. No entanto, esse minúsculo microestado é muito mais interessante do que parece, e nós aqui do Mega Curioso convidamos você para embarcar conosco nesta viagem de descobertas. Vamos lá?

Localizando o pequeno

Banhado pelo Mediterrâneo a leste, o microestado faz fronteira com a França ao norte, sul e oeste, e fica localizado próximo à Itália. Mônaco é o segundo menor Estado do planeta — vindo apenas depois da Cidade do Vaticano —, com uma área de 2,02 quilômetros quadrados, e sua população total soma pouco mais de 30 mil habitantes, sendo que 60% dela é composta por imigrantes. A maioria das pessoas que vivem no país são cidadãos franceses.

A capital de Mônaco é... Mônaco, e não Monte Carlo, e o idioma oficial é o francês, embora o italiano, o inglês e o monegasco também sejam usados.  Mais de 90% da população é católica, e o Principado reúne a maior quantidade de milionários e bilionários per capta do planeta. Aliás, desde meados de 1870, os residentes não pagam imposto algum, e durante décadas o microestado se manteve graças à renda gerada por seus inúmeros — e famosos — cassinos.

História

Musée Oceanographique

Existem registros de que o território que hoje corresponde a Mônaco vem sendo ocupado desde a pré-história, quando serviu de refúgio para vários povos primitivos. Por volta do século 6 a.C., os fenícios que ocupavam a região da atual Marselha chegaram e fundaram ali uma colônia que, mais tarde foi dominada pelos gregos, que a batizaram de Monoikos, cujo nome deriva do deus grego Héracles — ou Hércules, como era chamado pelos romanos.

Depois o território foi dominado pelos romanos e por povos bárbaros — como os francos e os lombardos —, e por volta do século I Mônaco foi cristianizado. A região então passou para as mãos do Sacro Império Romano Germânico e, mais tarde, em 1191, o Imperador Henrique VI da Germânia concedeu ao povo que ocupava a região de Gênova o controle do território.

Em 1215, os italianos construíram ali uma fortaleza, e em 1297 o local passou a ser controlado pela família Grimaldi, ainda que sob a soberania de Gênova. Depois disso, a história do território se torna um pouco turbulenta... Mônaco foi anexado à França em1793 e, em 1815, posto sob a proteção do Reino da Sardenha. Em 1861, o território voltou para as mãos dos franceses, mas manteve sua independência.

Alguns anos depois, em 1918, por conta da Crise de Sucessão de Mônaco, um tratado firmado com a França ditou que caso a dinastia Grimaldi falhasse em prover um herdeiro para o trono monegasco, o principado voltaria a ser anexado à França.

Os Grimaldi, portanto, pertencem à família real europeia há mais tempo no poder, e até recentemente acreditava-se que se não existissem mais herdeiros para assumir o trono monegasco, o controle do país passaria para a França. Assim, em 2002, os dois países firmaram um novo acordo que garante que se essa situação algum dia se apresentar, Mônaco continuará sendo uma nação independente.

Principais atrações

Le Rocher

Lembra que comentamos anteriormente sobre a fortaleza construída pelos italianos que, mais tarde, se tornou o “berço” da dinastia Grimaldi? Essa estrutura foi edificada no século 13 no topo de um rochedo que oferecia aos ocupantes uma posição estratégica sobre o mar. Conhecida pelo nome de Le Rocher, a fortificação é a única área de Mônaco que ainda mantém as ruazinhas estreitas da Idade Média — repletas de lojinhas de suvenires e vendedores de sorvete.

Hoje o Le Rocher abriga a residência privada da família real, que e é guardada pelos Carabiniers du Prince — integrantes da unidade militar que faz a defesa do Principado. No topo do rochedo também é possível visitar o Fort Antoine, um forte do século 18 que atualmente funciona como um teatro a céu aberto. Outro local interessante é o Musée Oceanographique, que possui três aquários e mais de 6 mil espécimes, além de manter coleções científicas que incluem as descobertas de Jacques Cousteau.

Fort Antoine

No entanto, a principal atração do rochedo — além da vista espetacular — é o Palais du Prince, cuja estrutura traz uma combinação de estilos arquitetônicos e guarda uma magnífica coleção de mobiliário, frescos do século 15 e obras de arte dos séculos 18 e 19 espalhados por salões deslumbrantes.

Outra atração imperdível é o Place du Casino, com seu átrio de mármore rodeado por 28 colunas em ônix que levam à Salle Garnier, um salão vermelho e dourado decorado com esculturas e frescos que compõem a Ópera de Mônaco. O complexo — que foi construído no século 19 —, também abriga o famoso Casino de Monte-Carlo, e para ter acesso às salas de jogos, é necessário ser maior de 18 anos, estar bem vestido e ter muito dinheiro. Veja alguns detalhes do interior:

A Catedral de Mônaco, em estilo romano-bizantino, também merece uma visita, já que serve de local de sepultura dos antigos monarcas, incluindo a Princesa Grace Kelly e Príncipe Rainier. E para descontrair, uma atração muito visitada é o Jardin Exotique, onde é possível encontrar as maiores coleções de cactos e suculentas do mundo, cavernas, um verdadeiro labirinto de escadas, pontes e trilhas — e se deparar com vistas esplêndidas do Principado.

Fórmula 1

Se você é fã de Fórmula 1, então você deve saber que todos os anos no último fim de semana de maio ocorre o badalado Grand Prix de Mônaco. Conhecido como a única corrida dessa categoria que ocorre nas ruas de uma cidade, o circuito conta com 3.340 metros de extensão e vai do Boulevard Albert I com sentido à apertada curva de St Devote, seguindo pela Avenue d'Ostende até Massenet, passando pelo Place du Casino, pela curva Mirabeau e a icônica Fairmont Hairpin, a curva mais lenta da Fórmula 1.

Em realidade, as ruas estreitas e curvas sinuosas pelas quais o trajeto se distribui não são ideais para os carros de Fórmula 1, mas a corrida segue acontecendo no mesmo circuito por pura tradição, já que ele foi estabelecido no início do século 20. O GP é organizado pelo Automobile Club de Monaco e, devido à quantidade de pessoas que se reúnem durante o evento, não é muito fácil encontrar um bom lugar para assistir à corrida — a não ser que você pague bem caro por um.

Mais curiosidades:

Sala do Trono

  • Embora existam inúmeros cassinos em Mônaco, a população local é proibida de apostar e até mesmo de visitar esses locais;
  • Você pode chegar a Mônaco de trem, carrão, helicóptero ou até de iate, caso você tenha um, mas não tente chegar de avião, pois no microestado não existe aeroporto. O mais próximo fica em Nice, na França, que se situa a cerca de 30 minutos da capital monegasca;
  • Mas não pense que não existe um intenso tráfego aéreo por lá! Durante a semana, existe um intervalo de apenas 20 minutos entre o pouso de um helicóptero e outro em Mônaco;

Palais du Prince

  • Vários filmes de James Bond — como “007 Contra GoldenEye”, “007 – Cassino Royale” e “007 – Nunca Mais Outra Vez” — foram rodados em diversas locações monegascas;
  • Outra curiosidade — de certa forma — relacionada com o cinema foi o casamento entre o Príncipe Rainier III e a atriz norte-americana Grace Kelly em 1956, que ganhou o título de “Sua Alteza Sereníssima Princesa de Mônaco” após a união;
  • Quando o primeiro filho do casal nasceu, foi declarado feriado nacional, todas as atividades dos cassinos foram suspensas por um dia, e toda a população do país pode brindar ao herdeiro com champagne fornecida pelos monarcas;

Place du Casino

  • O atual monarca de Mônaco é Albert II, o segundo filho de Grace Kelly e Rainier;
  • A bandeira de Mônaco é quase idêntica à da Indonésia, com a pequena diferença de que a monegasca é um pouco mais estreita. Aliás, as cores vermelho e branco representam as cores da Casa Grimaldi;
  • O dialeto monegasco evoluiu do italiano e sofreu influência do francês e dos dialetos intermelio e mentonnais;

  • Apesar de pequenino, Mônaco oferece eventos o ano todo aos visitantes: bailes superglamourosos, concertos apresentados pela Orquestra Filarmônica Monte-Carlo, torneios de tênis, maratonas e, claro, o Grande Prêmio de Fórmula 1, que ocorre anualmente em maio;

  • E falando em Grande Prêmio, o de Mônaco está entre os mais famosos do mundo, e Ayrton Senna ainda detém o título de piloto com o maior número de vitórias no circuito: 6 no total, em 1987, 1989, 1990, 1991, 1992 e 1993.